in

Tipos de Vulva: Conheça todas as formas e tipos

Toda mulher tem uma região chamada de Vulva, que nada mais é do que aquela parte externa existente nos órgãos da genitália feminina. Para quem não sabe, essa região abarca a abertura da Vagina, os lábios maiores, os menores e o próprio clitóris. A sua parte externa é coberta por pelos pubianos e além disso, existem vários tipos de vulva. Ao redor da abertura da Vagina, há cerca de dois conjuntos compostos por dobras de pele. O primeiro conjunto, que é o conhecido como conjunto interno, é composto pelos lábios menores, não possuem pelos e são pequenos no tamanho. O segundo conjunto, que é o da parte externa, é composto pelos lábios maiores e nele, existem pelos pubianos que revestem toda a parte externa do local. Ambos tipos de lábios possuem formação baseada em Tecido do tipo Conjuntivo, que se localiza bem na região do centro. Porém, vale enfatizar que é nos maiores que há muito mais concentração de Tecido Adiposo. E qual a função dos lábios? Simplesmente de proteger a região inicial de abertura da Vagina e inclusive a abertura da Uretra. A Uretra nada mais é do que um pequeno tubo curto que é responsável por transportar a urina da região da bexiga para a parte externa do corpo. Existem glândulas no interior da abertura Vaginal e elas são responsáveis por produzir um líquido parecido com o muco, que ajuda a lubrificar o local durante o sexo. Essa glândula é conhecida como Glândula de Bartholin, e elas ficam localizadas exatamente uma de cada lado da abertura. No local anterior a Vagina, há um encontro de lábios menores que visam formar uma pequena tampinha de pele, justamente para formar o que chamamos de Prepúcio. Para quem não sabe, o Clitóris da mulher fica bem em cima desse Prepúcio. O Clitóris, é uma região estruturada supersensível da área íntima feminina, que quando estimulada sexualmente acaba aumentando de tamanho. Para se ter uma noção, os lábios de caráter menor também acabam se encontrando na parte posterior da abertura Vaginal e por isso forma-se a chamada Comissura Posterior. Sabe aquele espacinho existente entre a Vagina e o Ânus? Pois bem, aquilo ali é o que conhecemos por períneo. Você mulher, sabia tanto assim sobre a sua Vulva? É muito importante conhecer a sua região íntima e no artigo de hoje, detalharemos muito mais sobre o assunto. Aliás, você conhecerá os tipos de Vulvas e aprenderá tudo e muito mais que envolve esse Universo feminino. Preparada? Tenha uma boa leitura!!

Toda mulher tem uma região chamada de Vulva, que nada mais é do que aquela parte externa existente nos órgãos da genitália feminina. Para quem não sabe, essa região abarca a abertura da

Vagina, os lábios maiores, os menores e o próprio clitóris. A sua parte externa é coberta por pelos pubianos e além disso, existem vários tipos de vulva.

Presente Para o Seu Parceiro

Sauna e Spa Familiar para Homens

Conheça >> www.spawellbeing.com.br.

Ao redor da abertura da Vagina, há cerca de dois conjuntos compostos por dobras de pele. O primeiro conjunto, que é o conhecido como conjunto interno, é composto pelos lábios menores, não possuem pelos e são pequenos no tamanho.

O segundo conjunto, que é o da parte externa, é composto pelos lábios maiores e nele, existem pelos pubianos que revestem toda a parte externa do local. Ambos tipos de lábios possuem formação baseada em Tecido do tipo Conjuntivo, que se localiza bem na região do centro. Porém, vale enfatizar que é nos maiores que há muito mais concentração de Tecido Adiposo.

E qual a função dos lábios? Simplesmente de proteger a região inicial de abertura da Vagina e inclusive a abertura da Uretra. A Uretra nada mais é do que um pequeno tubo curto que é responsável por transportar a urina da região da bexiga para a parte externa do corpo.

Existem glândulas no interior da abertura Vaginal e elas são responsáveis por produzir um líquido parecido com o muco, que ajuda a lubrificar o local durante o sexo. Essa glândula é conhecida como Glândula de Bartholin, e elas ficam localizadas exatamente uma de cada lado da abertura.

No local anterior a Vagina, há um encontro de lábios menores que visam formar uma pequena tampinha de pele, justamente para formar o que chamamos de Prepúcio.

Para quem não sabe, o Clitóris da mulher fica bem em cima desse Prepúcio. O Clitóris, é uma região estruturada supersensível da área íntima feminina, que quando estimulada sexualmente acaba aumentando de tamanho.

Para se ter uma noção, os lábios de caráter menor também acabam se encontrando na parte posterior da abertura Vaginal e por isso forma-se a chamada Comissura Posterior.

Sabe aquele espacinho existente entre a Vagina e o Ânus? Pois bem, aquilo ali é o que conhecemos por períneo.

Você mulher, sabia tanto assim sobre a sua Vulva? É muito importante conhecer a sua região íntima e no artigo de hoje, detalharemos muito mais sobre o assunto.

Aliás, você conhecerá os tipos de Vulvas e aprenderá tudo e muito mais que envolve esse Universo feminino. Preparada? Tenha uma boa leitura!!

A Vagina e suas particularidades: O que influencia a sua aparência?

No ano de 2011, o número de mulheres passando por Intervenção cirúrgica na área íntima cresceu significativamente. Em vista disso, e muito preocupado com essa situação, um Artista Plástico chamado Jamie McCartney, criou uma exposição muito grande, para evidenciar os inúmeros tipos de Vulva existentes e ressaltar a beleza de cada uma. Essa exposição exibiu quatrocentas fotos de mulheres reais, impressas em grandes painéis de gesso. Aliás, em vista disso surgiu o livro “The Great Wall of Vaginas”, que recebeu a tradução livre de “O Grande Mural das Vaginas”. Além do Artista Plástico, a Ginecologista e também Obstetra Caroline Alexandre, também ficou preocupada com o cenário de insegurança feminina em relação a aparência de sua própria Vagina e também resolver ajudar a combatê-las. A médica simplesmente mostra fotos de outras mulheres para suas pacientes, para mostrar que nenhuma Vulva é idêntica à outra e cada uma tem sua beleza, com suas próprias particularidades. Do mesmo modo que temos olhos, mamas e pés únicos, também temos a Vagina e a Vulva únicas. Cada mulher nasce e vai se desenvolvendo com determinadas características, e ao longo desse processo ela varia em tamanhos, formato, cor e aspectos variados. É fundamental conversar com a mulher de forma sincera e franca, e mostrar que ninguém nasce igual a ninguém. E uma característica de alguém nunca será considerada mais ou menos bonita do que outrem, porque a diferença existe apenas na questão anatômica e qualquer formato de Vulva é normal. A mulher precisa entender que ela tem suas características e deve amar elas como são. Não adianta tentar se encaixar em algum padrão porque acha que é o mais bonito. Se a sua vulva tem tal formato, ela é normal, nada indica que você tem algum problema que precisa resolver. Nesse ramo o que mais há é diversidade e você precisa se amar com a sua.

No ano de 2011, o número de mulheres passando por Intervenção cirúrgica na área íntima cresceu significativamente. Em vista disso, e muito preocupado com essa situação, um Artista Plástico chamado Jamie McCartney, criou uma exposição muito grande, para evidenciar os inúmeros tipos de Vulva existentes e ressaltar a beleza de cada uma.

Essa exposição exibiu quatrocentas fotos de mulheres reais, impressas em grandes painéis de gesso. Aliás, em vista disso surgiu o livro “The Great Wall of Vaginas”, que recebeu a tradução livre de “O Grande Mural das Vaginas”.

Além do Artista Plástico, a Ginecologista e também Obstetra Caroline Alexandre, também ficou preocupada com o cenário de insegurança feminina em relação a aparência de sua própria Vagina e também resolver ajudar a combatê-las.

A médica simplesmente mostra fotos de outras mulheres para suas pacientes, para mostrar que nenhuma Vulva é idêntica à outra e cada uma tem sua beleza, com suas próprias particularidades.

Do mesmo modo que temos olhos, mamas e pés únicos, também temos a Vagina e a Vulva únicas. Cada mulher nasce e vai se desenvolvendo com determinadas características, e ao longo desse processo ela varia em tamanhos, formato, cor e aspectos variados.

É fundamental conversar com a mulher de forma sincera e franca, e mostrar que ninguém nasce igual a ninguém. E uma característica de alguém nunca será considerada mais ou menos bonita do que outrem, porque a diferença existe apenas na questão anatômica e qualquer formato de Vulva é normal.

A mulher precisa entender que ela tem suas características e deve amar elas como são. Não adianta tentar se encaixar em algum padrão porque acha que é o mais bonito. Se a sua vulva tem tal formato, ela é normal, nada indica que você tem algum problema que precisa resolver. Nesse ramo o que mais há é diversidade e você precisa se amar com a sua.

Vulva versus Vagina

Será que Vulva e Vagina é a mesma coisa? Claro que não, e existem aspectos que a diferem. Como já vimos a Vulva é a região externa da genitália feminina enquanto que a Vagina é justamente uma espécie de estrutura de tubo que fica localizada entre essa vulva e a região Uterina.

De forma mais clara, a estrutura Vaginal mergulha para a região interna do copo da mulher e termina fechada, circundando o orifício da parte externa do colo do útero, que é o local por onde sai a menstruação.

Resumindo: A Vulva é como se fosse digital: cada mulher tem a sua personalizada e extremamente exclusiva.

Exclusividade nos detalhes de cada Vulva

Como já mencionamos, cada tipo de Vulva tem suas características peculiares, e isso quer dizer que existem aquelas que tem pelos mais lisos, encaracolados, encarapinhados, de cor mais clara ou escura, por exemplo.

Inclusive, o formato dos lábios também varia de mulher para mulher. Em algumas, os lábios maiores são mais grandes e bem encorpados graças ao Tecido Adiposo.

Em outras, os lábios menores variam bastante, podendo ser desde finos, até mais avantajados, cheios de Protuberância, rugosos ou até mesmo sem simetria.

O capuz do Clitóris também pode variar, em algumas mulheres ele é mais caído e o seu tamanho ou proeminência também podem sofrer distinções. Existem mulheres que se incomodam com o tamanho, seja na hora de usar alguma roupa mais justa, de andar de bicicleta ou até mesmo na hora do sexo.

Esses exemplos, são apenas alguns dos aspectos que podem variar de mulher para mulher usando o assunto é Vulva, pois existem muitos outros.

A Vulva pode mudar ao longo do tempo?

Talvez você não saiba que a sua Vulva pode sim sofrer mudanças ao longo dos anos e por isso, em cada fase da sua vida você pode acabar tendo uma Vulva diferente. Em outras palavras, quando a menina está na fase infantil, a Vulva tem um determinado aspecto. Durante a Adolescência, ela tem outro e na fase adulta também muda. Essas alterações são decorrentes da idade da mulher, dos níveis de colágeno existentes e do nível de flacidez, que de forma natural, vão diminuindo cada vez mais, na medida que ela vai envelhecendo. Alterações nos níveis de profundidade Outra curiosidade acerca do universo feminino, é que a Região Vaginal também pode variar no quesito profundidade, ou seja, a Vagina pode ser desde mais curta até mais longa. A Vagina em si tem uma estrutura mais elástica, que acaba se adaptando a variados tamanhos de pênis e em alguns casos, ela se alarga o que pode atrapalha na hora de obter prazer sexual. Em situações como o parto, por exemplo, ou a própria terceira idade, a vagina fica mais alargada e por isso a penetração pode ser dolorosa. Algumas das particularidades da região íntima feminina, também são decorrentes de variações de caráter genético no processo de formação e também por conta do organismo, que pode influenciar significativamente nessa questão. Existe, por exemplo, uma espécie de tecido chamado de Tecido Linfoide, que está diretamente associado a Mucosa da Vagina, respondendo de maneira diferente para cada uma. Além disso, também há uma Microbiota que também tem características diferentes em cada mulher. Para quem não sabe, a Microbiota é um conjunto de Microrganismo que habitam um Ecossistema.

Talvez você não saiba que a sua Vulva pode sim sofrer mudanças ao longo dos anos e por isso, em cada fase da sua vida você pode acabar tendo uma Vulva diferente.

Em outras palavras, quando a menina está na fase infantil, a Vulva tem um determinado aspecto. Durante a Adolescência, ela tem outro e na fase adulta também muda.

Essas alterações são decorrentes da idade da mulher, dos níveis de colágeno existentes e do nível de flacidez, que de forma natural, vão diminuindo cada vez mais, na medida que ela vai envelhecendo.

Alterações nos níveis de profundidade

Outra curiosidade acerca do universo feminino, é que a Região Vaginal também pode variar no quesito profundidade, ou seja, a Vagina pode ser desde mais curta até mais longa.

A Vagina em si tem uma estrutura mais elástica, que acaba se adaptando a variados tamanhos de pênis e em alguns casos, ela se alarga o que pode atrapalha na hora de obter prazer sexual.

Em situações como o parto, por exemplo, ou a própria terceira idade, a vagina fica mais alargada e por isso a penetração pode ser dolorosa.

Algumas das particularidades da região íntima feminina, também são decorrentes de variações de caráter genético no processo de formação e também por conta do organismo, que pode influenciar significativamente nessa questão.

Existe, por exemplo, uma espécie de tecido chamado de Tecido Linfoide, que está diretamente associado a Mucosa da Vagina, respondendo de maneira diferente para cada uma.

Além disso, também há uma Microbiota que também tem características diferentes em cada mulher. Para quem não sabe, a Microbiota é um conjunto de Microrganismo que habitam um Ecossistema.

Os hábitos de vida da mulher também influem na aparência da Vulva

A região da Vagina é diretamente influenciada pelos hábitos cotidianos da mulher, que incluem desde o tipo de Depilação utilizada, até o uso frequente de roupas justas ou largas e mudanças de caráter hormonal.

Aliás, a cor da região íntima também varia de mulher para mulher. No período fértil, por exemplo, e no momento da Excitação, a coloração da região é alterada.

Inclusive, a alteração da cor pode ocorrer por conta da escassez de Melanina que pode surgir durante a Gravidez, no parto, na fase do pós-parto e no período da Menopausa. São nesses momentos que os hormônios que produzem melanina diminuem e por isso a cor é alterada.
Intervenção Cirúrgica na região íntima

Como você já viu, não existe um padrão estético para a Vulva que justifique a incidência de cirurgia plástica na região, até porque cada uma tem suas características e isso é completamente normal.
Porém, em algumas mulheres, essas características associadas a anatomia do local, provocam muitos desconfortos e acaba afetando consideravelmente a sua autoestima.

Esse desconforto é mais frequente em mulheres que possuem lábios menores com muita proeminência. Isso causa não só desconforto, como também provoca dores na hora da relação sexual.

Se esse é o seu caso, o recomendado é ir em busca de profissional de Ginecologia de confiança, para que ele possa avalia-la e ver se realmente é necessário partir para a etapa da Cirurgia Íntima.

Principais tipos de Vulva

Basicamente, os tipos de Vulva vão variar dependendo de dois aspectos: O tamanho dos lábios menores e dos maiores e o nível de Proeminência do Clitóris. Para te ajudar a identificar o seu, separamos os quatro tipos básicos de vulva. Veja logo a seguir: 1. Vulva do tipo Beijo ou Coração: Esse é o tipo de Vulva que tem um formato que se destaca por ter lábios maiores bem Rechonchudinhos, e que por isso acabam cobrindo os lábios menores e toda a região do clitóris. Existem mulheres com esse tipo de Vulva que acabam se sentindo incomodadas na hora de vestir algum biquíni ou roupa mais justa. 2. Vulva do tipo Borboleta Esse é o tipo de Vulva, onde os lábios menores são mais avantajados e que por isso se destacam bastante entre os lábios maiores e a Região Clitoriana. Em alguns casos, a mulher que tem o lábio menor muito avantajado, a relação sexual pode ser incômoda, pois há atrito e pode provocar dor. Por conta disso, é muito importante sempre prestar atenção nos possíveis incômodos que podem surgir, machucadinhos na região e até mesmo dificuldade na hora de higienizar o local. Se esse for o seu caso, é importante buscar ajuda médica o mais rápido possível. 3. Vulva com Clitóris Aparente A maioria das pessoas conhecem esse tipo de Vulva como Tocha olímpica, pois nesse caso, o Prepúcio (capuz do Clitóris) é muito avantajado, podendo em alguns casos o próprio Clitóris ter Hipertrofia. Nas duas situações, o Clitóris se sobressai completamente para fora dos lábios menores e dos lábios maiores, ficando em destaque. Algumas raras mulheres que tem esse tipo de Vulva, acabam sofrendo atrito que incomoda na hora que vão usar roupas mais justas. 4. Vulva com a púbis mais alta Popularmente, muitas pessoas chamam esse tipo de Vulva de Capô de Fusca, pois a região do Monte de Vênus, que fica em cima da Púbis tem um volume mais avantajado. Referente a esse tipo de Vulva não existe nenhum cuidado determinado a ser seguido, somente os padrões de higienização da área íntima.

Basicamente, os tipos de Vulva vão variar dependendo de dois aspectos: O tamanho dos lábios menores e dos maiores e o nível de Proeminência do Clitóris.
Para te ajudar a identificar o seu, separamos os quatro tipos básicos de vulva. Veja logo a seguir:

1. Vulva do tipo Beijo ou Coração:

Esse é o tipo de Vulva que tem um formato que se destaca por ter lábios maiores bem Rechonchudinhos, e que por isso acabam cobrindo os lábios menores e toda a região do clitóris.
Existem mulheres com esse tipo de Vulva que acabam se sentindo incomodadas na hora de vestir algum biquíni ou roupa mais justa.

2. Vulva do tipo Borboleta

Esse é o tipo de Vulva, onde os lábios menores são mais avantajados e que por isso se destacam bastante entre os lábios maiores e a Região Clitoriana.

Em alguns casos, a mulher que tem o lábio menor muito avantajado, a relação sexual pode ser incômoda, pois há atrito e pode provocar dor. Por conta disso, é muito importante sempre prestar atenção nos possíveis incômodos que podem surgir, machucadinhos na região e até mesmo dificuldade na hora de higienizar o local.

Se esse for o seu caso, é importante buscar ajuda médica o mais rápido possível.

3. Vulva com Clitóris Aparente

A maioria das pessoas conhecem esse tipo de Vulva como Tocha olímpica, pois nesse caso, o Prepúcio (capuz do Clitóris) é muito avantajado, podendo em alguns casos o próprio Clitóris ter Hipertrofia.

Nas duas situações, o Clitóris se sobressai completamente para fora dos lábios menores e dos lábios maiores, ficando em destaque.

Algumas raras mulheres que tem esse tipo de Vulva, acabam sofrendo atrito que incomoda na hora que vão usar roupas mais justas.

4. Vulva com a púbis mais alta

Popularmente, muitas pessoas chamam esse tipo de Vulva de Capô de Fusca, pois a região do Monte de Vênus, que fica em cima da Púbis tem um volume mais avantajado.

Presente Para o Seu Parceiro

Sauna e Spa Familiar para Homens

Conheça >> www.spawellbeing.com.br.

Referente a esse tipo de Vulva não existe nenhum cuidado determinado a ser seguido, somente os padrões de higienização da área íntima.

Labioplastia: Entenda um pouco mais sobre o assunto

Não tem como falar sobre Vulva e não mencionar a Labioplastia. Já vimos que algumas das mulheres se incomodam bastante com a aparência da sua Vulva e dentro desse contexto, surgiram diversas cirurgias de região íntima que incluem a própria Labioplastia. A cirurgia é voltada para o reparo desse local íntimo feminino e para se ter uma noção, o Brasil é o país que mais realiza esse tipo de intervenção cirúrgica. A maioria das brasileiras procuram esse tipo de procedimento, que também é chamado de Ninfoplastia. A maioria que vai em busca desse procedimento tem finalidade estética, pois querem melhorar a aparência do local para sentir mais segurança ou até mesmo melhorar a Relação sexual com o parceiro. A Labioplastia, nada mais é do que a Intervenção Cirúrgica que é feita para a retirada de pele dos lábios da Vagina, com o objetivo de diminuir o seu tamanho, deixando-o mais regular, melhora a aparência e as funcionalidades da região. Os lábios pequenos da Vagina tem a função de guardar a entrada da região, impedindo que haja o surgimento de quadros de infecção, e ajudando a lubrificar ainda mais o local. Se por ventura, o processo de diminuição da área intima for exagerado, isso fará com que o local sofra com ressecamento, principalmente depois do período de menopausa, que é a etapa em que a lubrificação íntima naturalmente já se reduz por si só. De forma geral, as mudanças que ocorrem na região externa do órgão íntimo da mulher estão diretamente associadas a situações que acabam surgindo por conta da idade mais avançada, apesar de que essas não são as únicas situações. Em alguns casos as alterações são de caráter hormonal, que ocorrem em fases como Adolescência, problemas com Diabetes, Obesidade, Período Gestacional e muitas outras.

Não tem como falar sobre Vulva e não mencionar a Labioplastia. Já vimos que algumas das mulheres se incomodam bastante com a aparência da sua Vulva e dentro desse contexto, surgiram diversas cirurgias de região íntima que incluem a própria Labioplastia.

A cirurgia é voltada para o reparo desse local íntimo feminino e para se ter uma noção, o Brasil é o país que mais realiza esse tipo de intervenção cirúrgica. A maioria das brasileiras procuram esse tipo de procedimento, que também é chamado de Ninfoplastia.

A maioria que vai em busca desse procedimento tem finalidade estética, pois querem melhorar a aparência do local para sentir mais segurança ou até mesmo melhorar a Relação sexual com o parceiro.

A Labioplastia, nada mais é do que a Intervenção Cirúrgica que é feita para a retirada de pele dos lábios da Vagina, com o objetivo de diminuir o seu tamanho, deixando-o mais regular, melhora a aparência e as funcionalidades da região.

Os lábios pequenos da Vagina tem a função de guardar a entrada da região, impedindo que haja o surgimento de quadros de infecção, e ajudando a lubrificar ainda mais o local.

Se por ventura, o processo de diminuição da área intima for exagerado, isso fará com que o local sofra com ressecamento, principalmente depois do período de menopausa, que é a etapa em que a lubrificação íntima naturalmente já se reduz por si só.

De forma geral, as mudanças que ocorrem na região externa do órgão íntimo da mulher estão diretamente associadas a situações que acabam surgindo por conta da idade mais avançada, apesar de que essas não são as únicas situações.

Em alguns casos as alterações são de caráter hormonal, que ocorrem em fases como Adolescência, problemas com Diabetes, Obesidade, Período Gestacional e muitas outras.

De que forma a Labioplastia é realizada?

Em boa parte das Intervenções cirúrgicas, os procedimentos são simples, e a paciente não tem a necessidade de ser anestesiada. O que o profissional faz é só anestesiar o local e sedar a paciente. Em média, uma cirurgia desse tipo dura em torno de sessenta minutos.

No decorrer da Labioplastia, o médico remove uma porção dos lábios menores e reconstrói o mesmo, logo em seguida. Depois disso, a região é ponteada e ao longo da recuperação, o próprio organismo absorve os pontos, por isso, não precisa voltar ao médico para retirá-los.

Da mesma forma que ocorre com qualquer outro tipo de procedimento Estético, a Labioplastia também deixa marcas cirúrgicas na região operada. Porém, a cicatriz decorrente é pouco visível, justamente por conta do ponto que é utilizado no procedimento, do tipo de pele da região íntima e do lugar onde a própria cicatriz é formada.

A Intervenção cirúrgica é tão simples, que a mulher recebe alta no mesmo dia em que passa pelo procedimento. Na maior parte dos casos, cerca de seis horas depois da cirurgia ela já pode ir para casa se recuperar.

Em quais casos a Labioplastia é indicada?

Embora seja completamente normal que os lábios menores da vagina tenham diversos formatos, desde alongados, até curtos, com dobrinhas ou ondulações, e diversas variações de tamanhos, ainda sim tem mulher que procuram fazer o possível para ter lábios menores. O procedimento de Labioplastia é recomendado para a mulher que deseja promover melhoras na questão estética ou até mesmo psicológica associada à área íntima. Psicológica porque muitas vezes a mulher se envergonha da aparência de sua região íntima, em determinadas situações que envolvem usar uma certa roupa, por exemplo. Além disso, a cirurgia é indicada para a mulherada que tem dificuldades para higienizar a área de forma adequada. Como vimos, tem mulheres também que em lábios menores mais avantajados e isso pode provocar incômodos e dores na hora da relação sexual, em vista disso, a Labioplastia também é indicada. Sabemos que esses incômodos ocorrem porque durante o sexo acaba tendo atrito do pênis na região da Vagina, que pode provocar lesões e machucados durante o sexo. Por isso, é essencial procurar um médico e avaliar a necessidade de corrigir algum aspecto da área íntima feminina. O que a mulher espera depois de fazer uma Cirurgia Íntima desse tipo? Quem faz a Labioplastia deve saber que o retorno esperado do procedimento tem muita durabilidade. Entretanto, por conta dos efeitos do processo natural de envelhecimento (Flacidez, por exemplo), a Vulva pode sofrer novas modificações. Veja alguns dos principais benefícios do procedimento que separamos para você: • Diminui o tamanho dos Lábios menores; • Acaba com qualquer dor ou desconforto que antes existia durante a relação sexual; • A mulher pode usar qualquer roupa, sem sentir nenhum tipo de constrangimento; • A cirurgia não traz nenhum problema para o parto, nem afeta ele de forma alguma; • Facilita ainda mais o processo de higienização da área íntima; • Aumenta consideravelmente a autoestima da mulher. Existem riscos de se fazer Labioplastia? Todo tipo de Intervenção Cirúrgica traz os seus riscos, e não poderia ser diferente com a Labioplastia. Dos riscos principais destacamos: • Possibilidade de uma má cicatrização; • Os lábios podem ter irregularidades; • A região pode perder a sensibilidade de forma momentânea; • Possibilidade de surgimento de hematomas; • Possibilidade de Quadros de Infecção; • Os pontos podem acabar se abrindo.

Embora seja completamente normal que os lábios menores da vagina tenham diversos formatos, desde alongados, até curtos, com dobrinhas ou ondulações, e diversas variações de tamanhos, ainda sim tem mulher que procuram fazer o possível para ter lábios menores.

O procedimento de Labioplastia é recomendado para a mulher que deseja promover melhoras na questão estética ou até mesmo psicológica associada à área íntima. Psicológica porque muitas vezes a mulher se envergonha da aparência de sua região íntima, em determinadas situações que envolvem usar uma certa roupa, por exemplo.

Além disso, a cirurgia é indicada para a mulherada que tem dificuldades para higienizar a área de forma adequada. Como vimos, tem mulheres também que em lábios menores mais avantajados e isso pode provocar incômodos e dores na hora da relação sexual, em vista disso, a Labioplastia também é indicada.

Sabemos que esses incômodos ocorrem porque durante o sexo acaba tendo atrito do pênis na região da Vagina, que pode provocar lesões e machucados durante o sexo. Por isso, é essencial procurar um médico e avaliar a necessidade de corrigir algum aspecto da área íntima feminina.

O que a mulher espera depois de fazer uma Cirurgia Íntima desse tipo?

Quem faz a Labioplastia deve saber que o retorno esperado do procedimento tem muita durabilidade. Entretanto, por conta dos efeitos do processo natural de envelhecimento (Flacidez, por exemplo), a Vulva pode sofrer novas modificações.

Veja alguns dos principais benefícios do procedimento que separamos para você:

• Diminui o tamanho dos Lábios menores;

• Acaba com qualquer dor ou desconforto que antes existia durante a relação sexual;

• A mulher pode usar qualquer roupa, sem sentir nenhum tipo de constrangimento;

• A cirurgia não traz nenhum problema para o parto, nem afeta ele de forma alguma;

• Facilita ainda mais o processo de higienização da área íntima;

• Aumenta consideravelmente a autoestima da mulher.

Existem riscos de se fazer Labioplastia?

Todo tipo de Intervenção Cirúrgica traz os seus riscos, e não poderia ser diferente com a Labioplastia. Dos riscos principais destacamos:

• Possibilidade de uma má cicatrização;

• Os lábios podem ter irregularidades;

• A região pode perder a sensibilidade de forma momentânea;

• Possibilidade de surgimento de hematomas;

• Possibilidade de Quadros de Infecção;

• Os pontos podem acabar se abrindo.

Quais cuidados a mulher precisa tomar depois que faz o procedimento?

O processo de recuperação pós-cirurgia na maioria dos casos não é doloroso, só se ocorrer inchaço no local. O médico prescreve alguns tipos de Analgésicos comuns para a mulher tomar nessa etapa. Pela simplicidade do procedimento, a maioria das mulheres voltam para a casa no mesmo dia em que passaram pela intervenção cirúrgica, somente em alguns casos raros é que o médico não dá alta e pede a internação da paciente. Os níveis de proeminência e os hematomas do local costuma desaparecer em até quatorze dias depois da cirurgia. Quando o procedimento é feito a laser, a recuperação é ainda mais rápida e as incidências de inchações e Equimose são bem menores. A fim de reduzir os inchações e Proeminências da região, muitos médicos indicam realizar compressas frias no local pelo menos nos primeiros três dias depois do procedimento. Esforço físico só pode ser feito depois de no mínimo três semanas após o procedimento e nos primeiros trinta dias não se deve usar roupas muito apertadas e em até vinte dois dias depois da cirurgia não se deve tomar banho de mar nem de piscina. O recomendado é usar sempre protetores diários, pelo menos na primeira semana, e durante os primeiros trinta dias evitar relação sexual. O resultado final e completo da cirurgia é visível depois de seis meses, e é inclusive nesse período que o processo de cicatrização termina por completo. Qual mulher não pode passar por esse tipo de Cirurgia? Em alguns casos, o procedimento de Labioplastia é contraindicado. Alguns deles são: • Mulheres grávidas; • Mulheres em período de amamentação; • Mulheres que tem problemas de pele na área íntima; • Mulheres que sofrem com doenças de caráter infeccioso na região íntima; • Mulheres com problemas de cicatrização; • Mulheres com problemas de Coagulação ou com doenças Cardiovasculares; • Mulheres que estão no período da menstruação. A Labioplastia é muito cara? Dependendo do local onde você vai fazer, a Labioplastia pode custar de três mil reais até seis mil. Esse valor abarca gastos com Hospital, com a Cirurgia, com Anestesia e Revisões. Independentemente do tipo de Intervenção Cirúrgica, é sempre importante buscar um profissional qualificado de confiança, pois se for mau realizada, o paciente pode sofrer com resultados negativos. Além de pesquisar o histórico do profissional, você tem que investigar a Estrutura Hospitalar do local onde você irá fazer o procedimento. Observe bem se as condições físicas e materiais do ambiente estão adequados para a realização da prática cirúrgica. Independente de qualquer coisa você decida fazer, primeiramente cultive a consciência de que a sua Vulva e sua Vagina são suas particularidades. Elas possuem características exclusivas que só você tem, e isso acontece com qualquer outra mulher. Você pôde ver que existem vários tipos de Vulva e qual adversidade da região íntima feminina é enorme, por isso reflita bem e veja se realmente é necessário fazer uma cirurgia para alterar o local. Converse com um médico da área, faça uma análise e veja se no contexto da saúde existe a necessidade de passar por um procedimento como esse. Se não existir, reflita até que ponto você está sua saúde emocional está sendo afetada pela aparência de sua Vulva. As vezes um olha mais paciente para consigo mesma, e a autoceitação ajuda a acabar com frustrações e desconfortos. E se você estiver se sentindo mal mesmo e deseja mudar, faça isso, mas com consciência. Pesquise bastante e escolha um bom profissional para não ter problemas maiores no futuro. A sua saúde íntima agradece!

O processo de recuperação pós-cirurgia na maioria dos casos não é doloroso, só se ocorrer inchaço no local. O médico prescreve alguns tipos de Analgésicos comuns para a mulher tomar nessa etapa.

Pela simplicidade do procedimento, a maioria das mulheres voltam para a casa no mesmo dia em que passaram pela intervenção cirúrgica, somente em alguns casos raros é que o médico não dá alta e pede a internação da paciente.

Os níveis de proeminência e os hematomas do local costuma desaparecer em até quatorze dias depois da cirurgia. Quando o procedimento é feito a laser, a recuperação é ainda mais rápida e as incidências de inchações e Equimose são bem menores.

A fim de reduzir os inchações e Proeminências da região, muitos médicos indicam realizar compressas frias no local pelo menos nos primeiros três dias depois do procedimento.

Esforço físico só pode ser feito depois de no mínimo três semanas após o procedimento e nos primeiros trinta dias não se deve usar roupas muito apertadas e em até vinte dois dias depois da cirurgia não se deve tomar banho de mar nem de piscina.

O recomendado é usar sempre protetores diários, pelo menos na primeira semana, e durante os primeiros trinta dias evitar relação sexual. O resultado final e completo da cirurgia é visível depois de seis meses, e é inclusive nesse período que o processo de cicatrização termina por completo.

Qual mulher não pode passar por esse tipo de Cirurgia?

Em alguns casos, o procedimento de Labioplastia é contraindicado. Alguns deles são:

• Mulheres grávidas;

• Mulheres em período de amamentação;

• Mulheres que tem problemas de pele na área íntima;

• Mulheres que sofrem com doenças de caráter infeccioso na região íntima;

• Mulheres com problemas de cicatrização;

• Mulheres com problemas de Coagulação ou com doenças Cardiovasculares;

• Mulheres que estão no período da menstruação.

A Labioplastia é muito cara?

Dependendo do local onde você vai fazer, a Labioplastia pode custar de três mil reais até seis mil. Esse valor abarca gastos com Hospital, com a Cirurgia, com Anestesia e Revisões.

Independentemente do tipo de Intervenção Cirúrgica, é sempre importante buscar um profissional qualificado de confiança, pois se for mau realizada, o paciente pode sofrer com resultados negativos.

Além de pesquisar o histórico do profissional, você tem que investigar a Estrutura Hospitalar do local onde você irá fazer o procedimento. Observe bem se as condições físicas e materiais do ambiente estão adequados para a realização da prática cirúrgica.

Independente de qualquer coisa você decida fazer, primeiramente cultive a consciência de que a sua Vulva e sua Vagina são suas particularidades. Elas possuem características exclusivas que só você tem, e isso acontece com qualquer outra mulher.

Você pôde ver que existem vários tipos de Vulva e qual adversidade da região íntima feminina é enorme, por isso reflita bem e veja se realmente é necessário fazer uma cirurgia para alterar o local.

Converse com um médico da área, faça uma análise e veja se no contexto da saúde existe a necessidade de passar por um procedimento como esse. Se não existir, reflita até que ponto você está sua saúde emocional está sendo afetada pela aparência de sua Vulva.

As vezes um olha mais paciente para consigo mesma, e a autoceitação ajuda a acabar com frustrações e desconfortos. E se você estiver se sentindo mal mesmo e deseja mudar, faça isso, mas com consciência.

Pesquise bastante e escolha um bom profissional para não ter problemas maiores no futuro. A sua saúde íntima agradece!

Avatar

Written by Carolina Santos

Deixe uma resposta

Menstruação Rosa é Normal Dicas de Menina

Menstruação Rosa é Normal? Cólica? Gravidez?

Naturalmente, ao longo dos anos, o relacionamento de um casal pode acabar esfriando por inúmeros fatores que estão diretamente ligados principalmente com a rotina do dia a dia. Aquele sexo que antes era cheio de fogo e paixão, dificilmente faz parte da vida a dois e se torna necessário buscar mecanismos para esquentar a relação. Uma coisa é fato: O tempo é capaz de nos trazer inúmeras coisas boas, mas ele não ajuda a apimentar o sexo e um casal, muito pelo contrário, a monotonia acaba esfriando a relação. Se você está em um relacionamento duradouro ou já teve em um, deve saber que que no início do namoro, a paixão existe de uma maneira desenfreada. Os encontros sempre são motivos de muito desejo e tesão, e qualquer chance que o casal tem para ir para cama, eles já estão lá curtindo o momento cheios de desejo. Com o passar do tempo, esse fogo da paixão vai dando lugar ao companheirismo e essa é a hora que o homem e a mulher passam a ser mais amigos do que propriamente amantes. O sexo fica cada vez mais raro e aquele nível de intimidade sexual que tinha no começa, parece que desaparece completamente. Se você está vivendo essa fase não precisa se preocupar, é extremamente normal precisar encontrar maneiras para esquentar a relação. Em alguns casos é necessário fazer até Terapia de Casal e Terapia Sexual para apimentar as coisas a dois, mas algumas dicas simples já surtem bastante efeito e você pode colocar em prática para reacender a chama que o dia a dia acabou apagando. Fique atenta a seguir, que o artigo de hoje reuniu as melhores dicas para Esquentar a Relação e você ainda vai entender porque isso ocorre e como fazer para evitar. Aproveite ao máximo e tenha uma ótima leitura!

Dicas para Esquentar a Relação