Categorias
Comportamento Diversos

10 Principais Dificuldades de Mulheres Empreendedoras

Você já deve ter percebido que as mulheres não só estão muito presentes no mercado de trabalho como também no empreendedorismo, não é mesmo?

De acordo com o site da revista Exame, existem cerca de 24 milhões de mulheres empresárias no Brasil.

Isso mostra como as mulheres estão avançando em sua vida profissional e se tornando tão proativas quanto os homens.

No entanto as mulheres empreendedoras enfrentam maiores dificuldades para ter sucesso em seus negócios do que os homens.

Isso acontece muito por causa do preconceito que os homens têm em ver a mulher empreendendo, o que faz com que não consigam bons relacionamentos empresariais e investimentos, assim impedindo seu crescimento.

Se você é uma empreendedora ou está pensando em se tornar uma é importante conhecer as 10 principais dificuldades que as mulheres empreendedoras sofrem e entender melhor essa questão.

Vamos lá?

Conciliar a vida pessoal com o trabalho

A mulher empreendedora é muito cobrada, de si mesma, de sua família e também de suas atividades profissionais.

Além de cuidar do negócio, ela tem que dedicar-se aos filhos, ao companheiro e a casa. Assim fica difícil harmonizar todas as tarefas e a mulher fica dividida.

Ela geralmente sente culpa por colocar o cuidado com os filhos em segundo plano e por isso algumas mulheres chegam a deixar a administração da empresa para outra pessoa ou mesmo abandonar o trabalho.

Sofrer discriminação por ser mulher

Foto: via Resiliência Mag

A segunda dificuldade que as mulheres empreendedoras enfrentam é o preconceito que outros homens do ramo têm.

As mulheres são julgadas de forma mais rígida que os homens, sendo que estes são apontados como mais capacitados para administrar uma empresa.

Assim é mais exigido delas a qualidade do serviço que prestam ou do produto que comercializam. Isso faz com que as mulheres tenham dificuldade em desenvolver suas habilidades.

Falta de Estímulo

As mulheres não são estimuladas a crescer como empreendedoras, nem dentro de uma empresa.

Segundo o Sebrae, estudos mostram que depois de entrar em uma empresa, 60% das mulheres tem aspiração em crescer profissionalmente, no entanto esse número diminui com o passar dos anos, pelas mulheres não serem reconhecidas como profissionais.

Assim elas acabam se conformando com sua posição atual e não confiam que são capazes de obter uma promoção.

E na vida como empreendedoras ocorre o mesmo, de acordo com um estudo realizado por Paul Gompers, professor da Escola de Administração de Harvard e Sophie Wang, aluna de pós-graduação da mesma universidade, a discriminação também ocorre devido a panelinhas empresariais.

91% dos investidores no Vale do Silício, nos EUA, são homens, sendo que a maioria trabalha em bancos, fundos de investimento e consultoria e estudou nas universidades de Harvard, da Pensilvânia ou Stanford.

O que acontece é que geralmente eles receberam apoio de homens iguais a eles. E é bem possível que isso continue a se repetir, como se fosse um ciclo vicioso.

Segundo Sheila Lirio Marcelo, uma das fundadoras da Care.com, é necessário haver uma comunidade de apoio às mulheres e também existir mulheres empreendedoras que falem sobre suas carreiras para servir de inspiração para quem está começando.

Investimento desigual

Foto: via Freelmages.com

Outra dificuldade que as mulheres passam é quanto ao investimento. Pois elas não são incluídas em redes de financiamento, que geralmente funcionam através de referências de amigos e são mantidas apenas por homens.

Sem apoio, elas propendem a investir seu dinheiro pessoal em sua empresa e quando buscam por investidores costumam solicitar valores menores.

As redes não são só importantes devido ao investimento, mas também funcionam como um suporte emocional. Sem ele as mulheres se sentem muito sozinhas.

Educação distinta

Ainda existem países que proíbem as mulheres de estudar, segundo o Sebrae cerca de 60 milhões de mulheres não tem direito ao estudo.

De acordo com o site das Nações Unidas Brasil, entre os anos de 2009 a 2014 meninas que queriam estudar foram agredidas em 70 países.

Isso prejudica o desenvolvimento das habilidades pessoais da mulher, além da falta de networking, pois as mulheres têm menores chances de conhecer outras pessoas empreendedoras.

Falta de networking

Foto: via Blog BringIT

Além do problema com a educação, a falta de networking, ou seja, uma rede de contatos é outra dificuldade que a mulher enfrenta no ramo dos negócios.

Pois através do networking é possível ter uma relação mais próxima com clientes, fazer a empresa ser mais popular, além de identificar bons momentos para fazer negócio.

Pode fazer parte do networking de uma mulher empreendedora amigos, colegas de faculdade e do trabalho, pessoas com interesses em comum e outras que façam parte do seu ramo de atuação.

De acordo com um estudo da GEM a mulher brasileira se relaciona menos nos negócios. Isso prejudica o networking e assim diminui as chances do negócio crescer.

Escolher o negócio ideal

A mulher também tem dificuldade de eleger um modelo de empresa que se abique ao que ela deseja. Um negócio que se relacione bem com seus propósitos profissionais e que ao mesmo tempo forneça o que ela precisa.

E se não escolher bem e acabar com um negócio que não tenha nada a ver com as habilidades e gostos da mulher, tem grandes chances de não dar certo.

O mesmo se diz de um negócio que pode combinar com a mulher, mas que não é rentável. Nesse caso a empresa não sobrevive.

Por isso é necessário que as características sobre o gosto e a rentabilidade se harmonizem.

Confiar tarefas a outras pessoas

Foto: via Grupo Selpe

Chega um momento no negócio em que é preciso confiar algumas tarefas a outras pessoas, para que você possa dar conta do trabalho e se foque no crescimento da empresa.

Mas geralmente o empreendedor, seja mulher ou homem, tem dificuldade em fazer isso.

Por isso é necessário aprender a se focar nas demandas mais importantes e que requerem maior atenção para a empresa e deixar as atividades secundárias nas mãos de outras pessoas.

Legalizar a empresa

Outra dificuldade que a mulher empreendedora tem é em legalizar sua empresa.

Isso se deve a dois principais motivos, entre eles o encarecimento do empreendimento devido aos impostos e a dificuldade que a mulher tem em obter crédito.

Por isso muitas mulheres mantêm seus negócios de forma informal, sem procurar uma regularização.

Medo de fracassar

Foto: via Roberta Sanzi

Por todas essas dificuldades as mulheres ficam com medo de fracassar, podendo pensar que não têm capital para investir no negócio, não possuem habilidades para fazê-lo e não confiam que suas ideias vão dar certo.

Quando conseguem conquistar o sucesso de seu negócio algumas mulheres se limitam por pensar que não vão estar tão presentes com suas famílias.

Para que isso mude é necessário que as mulheres empreendedoras coloquem seus objetivos na mesa e enfrentem seus medos.

Dicas para mulheres empreendedoras

Agora que você entendeu as dificuldades pelas quais as mulheres empreendedoras passam, chegou o momento de conferir dicas que vão te ajudar a ter sucesso em seu empreendimento.

Aprenda a administrar seu tempo

Foto: via Action COACH Brasil

As mulheres têm muitas obrigações, além do trabalho tem que cuidar da casa, dos filhos e do marido, por isso é necessário aprender a administrar seu tempo.

Para isso você deve conversar com seu companheiro e dividir as tarefas da casa, para não ficar tão sobrecarregada.

Você também deve fazer um planejamento, onde estabelece seu horário de trabalho e também o tempo que você vai se dedicar à sua casa. O ideal é anotar tudo em um caderno ou agenda para se organizar.

Obtenha conhecimento

É importante que você obtenha conhecimento, para que assim possa administrar cada vez melhor seu negócio.

Uma das coisas que você deve aprender é sobre gestão financeira, dessa forma poderá administrar melhor a parte financeira de seu negócio e poder gerenciá-lo da melhor maneira.

Você também deve estar sempre atualizada sobre o mundo dos negócios e pesquisar tudo o que se relaciona com empreendedorismo.

Por isso uma boa dica é pesquisar na internet e participar de palestras e workshops, assim você vai estar sempre por dentro das novidades.

Tenha uma boa rede de contatos

É interessante que você invista em networking, dessa forma você poderá trocar experiências, fazer parcerias e obter informações que podem te ajudar a gerenciar melhor seu negócio.

Para começar sua rede de contatos você deve comparecer a eventos, congressos e conhecer cada vez mais pessoas do ramo empresarial.

 Seja uma boa líder

Foto: via CIO

Ser uma boa líder não significa ser uma pessoa autoritária que briga com seus funcionários, mas sim tratá-los com empatia, assumir seus erros e aprender com eles, ter uma boa comunicação e se empenhar para que sua equipe tenha um bom relacionamento de trabalho.

Dessa forma você vai conseguir animar sua equipe, ajudando-os a trabalhar melhor e assim trazer bons frutos à sua empresa.

Desenvolva um plano de negócios

O plano de negócios é um documento que retrata os objetivos de um negócio e qual o caminho que ele deve tomar para que eles sejam conquistados, reduzindo os riscos.

Esse plano tem informações em detalhes sobre o ramo do negócio, os produtos e serviços que ele vai oferecer, assim como seu público-alvo, concorrentes e fornecedores. Além de seus pontos fortes e fracos.

Dessa forma é mais fácil antecipar se uma ideia vai dar certo ou não, o que te ajuda a tomar decisões que ajudem sua empresa a obter sucesso.

Invista em marketing digital

O marketing digital se tornou muito importante nos dias atuais. Pois as pessoas cada vez mais usam a internet no seu dia a dia.

Assim se querem ser vistas ou lembradas é essencial que as empresas migrem para o mundo online.

Além disso, o custo do marketing digital é menor do que da propaganda tradicional, o que acaba aumentando o custo x benefício.

Saiba vender

Foto: via Oportunidade 24 Horas

Também é importante que você saiba vender, afinal não basta ter a empresa e o produto se você não souber como oferecê-lo a seus clientes.

Por isso é bom ser educada e simpática, sempre apresentando um sorriso aos clientes, assim eles se sentirão mais à vontade.

Você também deve entender as necessidades do cliente, sua forma de agir e assim criar um vínculo.

Nunca minta ao cliente, caso contrário ele não vai confiar em você e assim não comprará o produto. Dizer a verdade, mesmo que ela não seja agradável, é a melhor escolha.

Lembre-se que o cliente tem sempre razão, por isso você não deve bater de frente com ele. Caso não concorde com alguma coisa fale de outra forma, mostrando sua opinião de maneira tranquila.

E o cliente gostando do seu atendimento é bem provável que volte mais vezes e ainda recomende sua empresa a outras pessoas.

Faça inovações

Ao empreender também é essencial saber inovar, afinal as coisas mudam com o passar do tempo, especialmente a tecnologia.

E você pode usá-la a seu favor, como por exemplo, se você tem um restaurante pode começar a fazer entregas pelo delivery online. Dessa forma aumentará ainda mais sua cartela de clientes e consequentemente seu lucro.

O mesmo se pode falar em produtos, mesmo que a sua ideia seja diferente, por que não investir nela? Muitas ideias foram consideradas inviáveis quando estavam no papel, mas quando postas em prática a história foi bem diferente.

Por isso é necessário estudar, se esforçar e mais do que tudo acreditar em si mesma e em seu negócio.

Escolha como investir em sua empresa

Investir em sua empresa também é importante para seus negócios crescerem. Você pode buscar sócios, aceleradoras, venture capital, capital de semente ou investidores-anjo.

Existem várias formas de encontrar investimento, você deve analisar qual a melhor maneira de investir em sua empresa.

Para isso você deve levar em conta alguns aspectos como o valor que você precisa, o tempo que vai levar o investimento, a participação e o tempo de vida da empresa.

Fique próxima a pessoas positivas

Foto: via Penso Positivo

É difícil ficarmos positivas o tempo todo, ainda mais com os altos e baixos pelos quais a empresa pode passar.

Por isso é importante estar próxima de pessoas que sejam positivas e que te animem a continuar. Afinal nada conseguimos sozinhas, não é mesmo?

Pessoas que te ajudem tanto na parte emocional como no planejamento e gerenciamento do negócio são essenciais, pois elas acrescentam mais confiança e oferecem o apoio que precisamos nos momentos de dificuldade.

Tenha confiança

Mas é muito importante que você também tenha confiança em si mesma e no seu negócio. Pois é isso que fará a diferença e te ajudará a continuar, ainda que haja obstáculos a ultrapassar.

Como você pode ver este artigo mostra como é essencial que conheçamos as dificuldades em administrar um negócio.

Para as mulheres empreendedoras as barreiras podem parecer mais difíceis, mas com confiança, fé e aplicando as estratégias certas que vão te ajudar a crescer no seu negócio não é impossível alcançar o sucesso.