in

Pílula do dia seguinte dose única, quais as melhores?

A mulherada já sabe que para prevenir uma gravidez indesejada, além da camisinha, existem muitos outros métodos contraceptivos. E para a hora da emergência há também a pílula do dia seguinte dose única. Sabemos que o indicado é usar o anticoncepcional diariamente, mas para mulheres que evitam o remédio e faz uso do preservativo apenas, em alguns casos surge a necessidade de apelar para a famosa pílula contraceptiva de emergência, popularmente chamada de Pílula do dia seguinte. Como o próprio nome diz, a pílula é apenas para situações de emergenciais, quando a camisinha estoura e o único modo de evitar a gravidez é essa. A pílula em questão faz parte do grupo reduzido de medicamentos contraceptivos orais femininos voltados para situações emergenciais. Ela é composta por Acetato de Ulipristal, Mifepristona e Levonorgestrel, que inclusive podem se juntar com o Meloxicam. Trata-se de um remédio utilizado para evitar a gravidez precoce na adolescência ou a indesejada. Para que o efeito da pílula do dia seguinte dose única seja eficaz, a mulher tem que tomar no máximo em até quarenta e oito horas depois do sexo sem proteção. Quanto mais demorar para tomar, menor as chances e eficácia. Nas regiões da América e da Europa Ocidental, a utilização dos hormônios Acetato de Ulipristal e Levonorgestrel são as mais comuns em métodos de contracepção emergencial. Já na China e na Rússia, por exemplo, utiliza-se o Mifepristona. Claro que assim como os métodos contraceptivos orais diários, a pílula do dia seguinte dose única não protege a mulher de contrair Doenças Sexualmente Transmissíveis, aliás, é o preservativo, o único método capaz de proteger o ser humano nessa questão. Em hipótese alguma você usar a pílula do dia seguinte com regularidade, para isso tem a Pílula Anticoncepcional. Somente na emergência você deve apelar para ela. Não esqueça disso!

A mulherada já sabe que para prevenir uma gravidez indesejada, além da camisinha, existem muitos outros métodos contraceptivos. E para a hora da emergência há também a pílula do dia seguinte dose única.

Sabemos que o indicado é usar o anticoncepcional diariamente, mas para mulheres que evitam o remédio e faz uso do preservativo apenas, em alguns casos surge a necessidade de apelar para a famosa pílula contraceptiva de emergência, popularmente chamada de Pílula do dia seguinte.

Presente Para o Seu Parceiro

Sauna e Spa Familiar para Homens

Conheça >> www.spawellbeing.com.br.

Como o próprio nome diz, a pílula é apenas para situações de emergenciais, quando a camisinha estoura e o único modo de evitar a gravidez é essa. A pílula em questão faz parte do grupo reduzido de medicamentos contraceptivos orais femininos voltados para situações emergenciais.

Ela é composta por Acetato de Ulipristal, Mifepristona e Levonorgestrel, que inclusive podem se juntar com o Meloxicam. Trata-se de um remédio utilizado para evitar a gravidez precoce na adolescência ou a indesejada.

Para que o efeito da pílula do dia seguinte dose única seja eficaz, a mulher tem que tomar no máximo em até quarenta e oito horas depois do sexo sem proteção. Quanto mais demorar para tomar, menor as chances e eficácia.

Nas regiões da América e da Europa Ocidental, a utilização dos hormônios Acetato de Ulipristal e Levonorgestrel são as mais comuns em métodos de contracepção emergencial. Já na China e na Rússia, por exemplo, utiliza-se o Mifepristona.

Claro que assim como os métodos contraceptivos orais diários, a pílula do dia seguinte dose única não protege a mulher de contrair Doenças Sexualmente Transmissíveis, aliás, é o preservativo, o único método capaz de proteger o ser humano nessa questão.

Em hipótese alguma você deve usar a pílula do dia seguinte com regularidade, para isso tem a Pílula Anticoncepcional. Somente na emergência você deve apelar para ela. Não esqueça disso!

Conheça um pouco mais sobre a Evolução da Pílula do dia Seguinte

No início, as pílulas de contracepção emergencial eram fabricadas com altos níveis de Estrogênio. Em vista disso, muitas mulheres começaram a sentir efeitos colaterais gastrointestinais muito sérios. Tempos depois acabou surgindo um método chamado Yuzpe, que basicamente envolvia a utilização de altas dosagens de Estrogênio (mas ainda assim bem menor do que inicialmente era usado), combinadas com Progesterona. Assim, a pílula tinha duas dozes e a mulher tinha que tomar as duas doses em intervalos de doze horas. A mulher que tomava as duas doses as pílulas de forma correta, tinha setenta e cinco por cento de chances de evitar a gravidez indesejada. Mas quanto mais ela demorasse para tomar o método emergencial depois do sexo desprotegido, menores eram as chances de conseguir a eficiência da pílula. Entretanto, esse método de combinação de hormônios em duas doses acabou trazendo mais efeitos colaterais do que o método que usava apenas um hormônio. Levonorgestrel e Acetato de Ulipristal: O que são? Para quem não sabe, o Levonorgestrel trata-se de um Hormona Esteroide, voltado para a prevenção da ovulação e traz nenhum efeito prejudicial para a região do Endométrio. Basicamente ele impede que o óvulo seja fecundado. A pílula do dia seguinte dose única pode ser utilizada com até 5 dias depois do sexo sem proteção, mas é claro que quanto mais demorar menos chances de ter eficácia existirá. Se você observar, no folheto da pílula que ensina como utilizá-la, vem orientando tomar o medicamente em até setenta e duas horas depois do coito. Já o Acetato de Ulipristal, segundo o especialista Horacio Croxatto, é um tipo de método de contracepção de emergência, que não possui hormônios, mas que é cinco vezes mais eficaz do que a pílula de Levonorgestrel, quando o assunto é inibir ou atrasar o processo ovulatório feminino. O medicamento é vendido na região da Europa desde o ano e 2009, pela marca EllaOne e já vem sendo comercializado em países como a Espanha e Portugal. Foi por volta de 2010 que Portugal começou a vender a pílula de emergência sob a prescrição médica. Outra comparação desse método como método que possui Levonorgestrel, é que se você o tomar dentro do período de vinte e quatro horas depois da transa sem proteção ou com falha na camisinha, ele tem o dobro de eficácia do que se você tomar o Levonorgestrel dentro desse mesmo prazo.

No início, as pílulas de contracepção emergencial eram fabricadas com altos níveis de Estrogênio. Em vista disso, muitas mulheres começaram a sentir efeitos colaterais gastrointestinais muito sérios.

Tempos depois acabou surgindo um método chamado Yuzpe, que basicamente envolvia a utilização de altas dosagens de Estrogênio (mas ainda assim bem menor do que inicialmente era usado), combinadas com Progesterona. Assim, a pílula tinha duas dozes e a mulher tinha que tomar as duas doses em intervalos de doze horas.

A mulher que tomava as duas doses as pílulas de forma correta, tinha setenta e cinco por cento de chances de evitar a gravidez indesejada. Mas quanto mais ela demorasse para tomar o método emergencial depois do sexo desprotegido, menores eram as chances de conseguir a eficiência da pílula.

Entretanto, esse método de combinação de hormônios em duas doses acabou trazendo mais efeitos colaterais do que o método que usava apenas um hormônio.

Levonorgestrel e Acetato de Ulipristal: O que são?

Para quem não sabe, o Levonorgestrel trata-se de um Hormona Esteroide, voltado para a prevenção da ovulação e traz nenhum efeito prejudicial para a região do Endométrio. Basicamente ele impede que o óvulo seja fecundado.

A pílula do dia seguinte dose única pode ser utilizada com até 5 dias depois do sexo sem proteção, mas é claro que quanto mais demorar menos chances de ter eficácia existirá.

Se você observar, no folheto da pílula que ensina como utilizá-la, vem orientando tomar o medicamente em até setenta e duas horas depois do coito.

Já o Acetato de Ulipristal, segundo o especialista Horacio Croxatto, é um tipo de método de contracepção de emergência, que não possui hormônios, mas que é cinco vezes mais eficaz do que a pílula de Levonorgestrel, quando o assunto é inibir ou atrasar o processo ovulatório feminino.

O medicamento é vendido na região da Europa desde o ano e 2009, pela marca EllaOne e já vem sendo comercializado em países como a Espanha e Portugal. Foi por volta de 2010 que Portugal começou a vender a pílula de emergência sob a prescrição médica.

Outra comparação desse método como método que possui Levonorgestrel, é que se você o tomar dentro do período de vinte e quatro horas depois da transa sem proteção ou com falha na camisinha, ele tem o dobro de eficácia do que se você tomar o Levonorgestrel dentro desse mesmo prazo.

Mecanismos de ação da Pílula do dia Seguinte dose única

No início, as pílulas de contracepção emergencial eram fabricadas com altos níveis de Estrogênio. Em vista disso, muitas mulheres começaram a sentir efeitos colaterais gastrointestinais muito sérios. Tempos depois acabou surgindo um método chamado Yuzpe, que basicamente envolvia a utilização de altas dosagens de Estrogênio (mas ainda assim bem menor do que inicialmente era usado), combinadas com Progesterona. Assim, a pílula tinha duas dozes e a mulher tinha que tomar as duas doses em intervalos de doze horas. A mulher que tomava as duas doses as pílulas de forma correta, tinha setenta e cinco por cento de chances de evitar a gravidez indesejada. Mas quanto mais ela demorasse para tomar o método emergencial depois do sexo desprotegido, menores eram as chances de conseguir a eficiência da pílula. Entretanto, esse método de combinação de hormônios em duas doses acabou trazendo mais efeitos colaterais do que o método que usava apenas um hormônio. Levonorgestrel e Acetato de Ulipristal: O que são? Para quem não sabe, o Levonorgestrel trata-se de um Hormona Esteroide, voltado para a prevenção da ovulação e traz nenhum efeito prejudicial para a região do Endométrio. Basicamente ele impede que o óvulo seja fecundado. A pílula do dia seguinte dose única pode ser utilizada com até 5 dias depois do sexo sem proteção, mas é claro que quanto mais demorar menos chances de ter eficácia existirá. Se você observar, no folheto da pílula que ensina como utilizá-la, vem orientando tomar o medicamente em até setenta e duas horas depois do coito. Já o Acetato de Ulipristal, segundo o especialista Horacio Croxatto, é um tipo de método de contracepção de emergência, que não possui hormônios, mas que é cinco vezes mais eficaz do que a pílula de Levonorgestrel, quando o assunto é inibir ou atrasar o processo ovulatório feminino. O medicamento é vendido na região da Europa desde o ano e 2009, pela marca EllaOne e já vem sendo comercializado em países como a Espanha e Portugal. Foi por volta de 2010 que Portugal começou a vender a pílula de emergência sob a prescrição médica. Outra comparação desse método como método que possui Levonorgestrel, é que se você o tomar dentro do período de vinte e quatro horas depois da transa sem proteção ou com falha na camisinha, ele tem o dobro de eficácia do que se você tomar o Levonorgestrel dentro desse mesmo prazo.

É importante estar ciente de que não é sempre que a Pílula de Emergência vai conseguir evitar que o óvulo seja fecundado. Quando isso acontece, acaba que o zigoto se forma e a pílula vai na verdade impedir que ocorra o fenômeno da Nidação, por intermédio das mudanças que ocorrem na Espessura do Endométrio.

Para quem não sabe, a Nidação é o processo natural onde o embrião é devidamente implantado na região uterina da mulher. Geralmente ele acontece cerca de uma semana depois do período de ovulação e é o que chamamos de fase iniciação da Gravidez.

Principais tipos do Medicamento disponíveis

Embora erroneamente muitas mulheres encarem a pílula do dia seguinte como um método simples e prático de evitar a gravidez, não é. A alta de dosagem hormonal em um só comprimido pode trazer muitos efeitos colaterais, e por isso a mulher só deve usar em casos de extrema emergência.

Conheça os tipos da pílula:

• Existe a cartela de dose única, que é composta por um comprimido com 1,5 miligramas de Levonorgestrel e

• Existe a cartela de duas doses, onde cada comprimido é composto por 0,75 miligramas desse mesmo hormônio citado anteriormente.

De forma geral, ambas tipologias não se diferem, porque na verdade o total de hormônio que a mulher vai tomar no final das contas será a mesma dosagem. As duas formas, seja a pílula do dia seguinte dose única como a de dupla dosagem tem altos níveis de carga hormonal, a única diferença é que a primeira você toma de uma vez e a segunda divide em duas parcelas que devem ser intercaladas entre um período de doze horas.

Coloque uma coisa na sua cabeça: A pílula do dia seguinte é método de Emergência, não é método de prevenção, em hipótese alguma.

No geral, quais os riscos de engravidar tomando a Pílula emergencial?

Quem precisa tomar a Pílula de Emergência precisa ter a ciência de que existe cinco por cento de chances de ela não ser eficaz, porém isso ocorre quando ela não é utilizada da forma correta. Em outras palavras, basicamente se cem mulheres resolverem tomar a pílula do dia seguinte dentro de vinte e quatro horas depois do sexo sem proteção, ainda sim, cinco delas irão engravidar. As falhas da pílula estão associadas também a sua frequência de uso. A cada pílula que você toma, menor é a eficácia dela no seu organismo, pois o medicamento não foi feito para ser tomado com regularidade, aliás, o organismo da mulher não está preparado para receber essa alta dosagem de hormônios de uma vez. Se a mulher tomar a pílula depois que o feto é formado, pode acabar ocorrendo quadros hemorrágicos e aborto, além dos vários riscos que isso pode trazer para a sua saúde. Principais Efeitos Colaterais do medicamento Mesmo se você tomar uma única vez esse tipo de remédio de emergência ou tomar com muita raridade, ainda sim você estará suscetível a sentir alguns dos efeitos colaterais que ele pode provocar. Os mais frequentes são: • Dor de Cabeça; • Dores no corpo; • Sensação de Náuseas; • Diarreias; • Sensação de Tontura; • Ocorrência de vômitos; • Cansaço extremo; • Ocorrência de sangramento fora do período de Menstruação; • Alto nível de sensibilidade na região das mamas e • Dores na região abdominal. Vale ressaltar que esses efeitos ocorrem não só para quem toma a pílula de dosagem única, como também para quem opta por a pílula de duas doses. Inclusive, em boa parte dos casos, a mulher tem alteração no seu fluxo menstrual, decorrente da pílula do dia seguinte, o que o torna bem desregulado inicialmente. A depender do dia em que ela é tomada, a menstruação pode atrasar ou até mesmo vir mais cedo do que o esperado.

Quem precisa tomar a Pílula de Emergência precisa ter a ciência de que existe cinco por cento de chances de ela não ser eficaz, porém isso ocorre quando ela não é utilizada da forma correta.

Em outras palavras, basicamente se cem mulheres resolverem tomar a pílula do dia seguinte dentro de vinte e quatro horas depois do sexo sem proteção, ainda sim, cinco delas irão engravidar.

As falhas da pílula estão associadas também a sua frequência de uso. A cada pílula que você toma, menor é a eficácia dela no seu organismo, pois o medicamento não foi feito para ser tomado com regularidade, aliás, o organismo da mulher não está preparado para receber essa alta dosagem de hormônios de uma vez.

Se a mulher tomar a pílula depois que o feto é formado, pode acabar ocorrendo quadros hemorrágicos e aborto, além dos vários riscos que isso pode trazer para a sua saúde.

Principais Efeitos Colaterais do medicamento

Mesmo se você tomar uma única vez esse tipo de remédio de emergência ou tomar com muita raridade, ainda sim você estará suscetível a sentir alguns dos efeitos colaterais que ele pode provocar. Os mais frequentes são:

• Dor de Cabeça;

• Dores no corpo;

• Sensação de Náuseas;

• Diarreias;

• Sensação de Tontura;

• Ocorrência de vômitos;

• Cansaço extremo;

• Ocorrência de sangramento fora do período de Menstruação;

• Alto nível de sensibilidade na região das mamas e

• Dores na região abdominal.

Vale ressaltar que esses efeitos ocorrem não só para quem toma a pílula de dosagem única, como também para quem opta por a pílula de duas doses.

Inclusive, em boa parte dos casos, a mulher tem alteração no seu fluxo menstrual, decorrente da pílula do dia seguinte, o que o torna bem desregulado inicialmente.

A depender do dia em que ela é tomada, a menstruação pode atrasar ou até mesmo vir mais cedo do que o esperado.

Conheça as Vantagens e Desvantagens de se tomar a pílula do dia

Apesar dos efeitos colaterais, como qualquer medicamento, existem vantagens e desvantagens de se fazer uso da pílula do dia seguinte dose única. Conheça o lado bom e ruim de tomar o medicamento: • Vantagens do uso Resumidamente, o medicamento é o único método existente disponível para ser utilizado logo depois de uma relação íntima sexual. Se por algum motivo a eficácia não existir e a mulher engravidar mesmo depois de ter tomado a pílula, ela não surtirá efeitos prejudiciais no feto. A pílula é a opção disponível para evitar a Gravidez não planejada, quando acaba ocorrendo falha no método convencional (preservativo). • Desvantagens do uso Quanto mais você usar o medicamento, mais desregulado ficará o seu ciclo Menstrual e o seu Período Fértil. Em vista disso, suas chances de engravidar se acabar fazendo sexo desprotegido irá aumentar significativamente. Além disso, o uso frequente da pílula do dia seguinte dose única pode provocar problemas no bom funcionamento do órgão feminino de reprodução e a mulher terá dificuldades para engravidar, quando assim desejar. Também aumenta a chance de ocorrer Gestão Ectópica, que é quando o embrião acaba se formando fora do útero. Se a mulher está em período de amamentação e toma o remédio, a produção de leite materno também diminui. Afinal, como a Menstruação feminina fica? Como já mencionamos ao longo do artigo, a pílula de emergência pode tanto atrasar a menstruação de uma mulher, como fazer com que ela venha mais cedo. Isso ocorrer porque o medicamento desequilibra e desregula todo o Fluxo da mulher, inclusive o seu período fértil. Depois que você faz uso da Pílula do dia Seguinte, o organismo demora um pouco para se reajustar e readaptar o seu Ciclo menstrual. Isso pode até demorar um pouco, dependendo bastante do momento preciso do seu ciclo em que você fez uso do remédio. É comum ocorrer de a Menstruação descer na mesma semana ou sete dias depois de tomar a pílula emergencial. Se isso não acontecer em até quatro semanas, a mulher precisa fazer um exame de gravidez.

Presente Para o Seu Parceiro

Sauna e Spa Familiar para Homens

Conheça >> www.spawellbeing.com.br.

Apesar dos efeitos colaterais, como qualquer medicamento, existem vantagens e desvantagens de se fazer uso da pílula do dia seguinte dose única. Conheça o lado bom e ruim de tomar o medicamento:

• Vantagens do uso

Resumidamente, o medicamento é o único método existente disponível para ser utilizado logo depois de uma relação íntima sexual. Se por algum motivo a eficácia não existir e a mulher engravidar mesmo depois de ter tomado a pílula, ela não surtirá efeitos prejudiciais no feto.

A pílula é a opção disponível para evitar a Gravidez não planejada, quando acaba ocorrendo falha no método convencional (preservativo).

• Desvantagens do uso

Quanto mais você usar o medicamento, mais desregulado ficará o seu ciclo Menstrual e o seu Período Fértil. Em vista disso, suas chances de engravidar se acabar fazendo sexo desprotegido irá aumentar significativamente.

Além disso, o uso frequente da pílula do dia seguinte dose única pode provocar problemas no bom funcionamento do órgão feminino de reprodução e a mulher terá dificuldades para engravidar, quando assim desejar.

Também aumenta a chance de ocorrer Gestão Ectópica, que é quando o embrião acaba se formando fora do útero. Se a mulher está em período de amamentação e toma o remédio, a produção de leite materno também diminui.

Afinal, como a Menstruação feminina fica?

Como já mencionamos ao longo do artigo, a pílula de emergência pode tanto atrasar a menstruação de uma mulher, como fazer com que ela venha mais cedo. Isso ocorrer porque o medicamento desequilibra e desregula todo o Fluxo da mulher, inclusive o seu período fértil.

Depois que você faz uso da Pílula do dia Seguinte, o organismo demora um pouco para se reajustar e readaptar o seu Ciclo menstrual. Isso pode até demorar um pouco, dependendo bastante do momento preciso do seu ciclo em que você fez uso do remédio.

É comum ocorrer de a Menstruação descer na mesma semana ou sete dias depois de tomar a pílula emergencial. Se isso não acontecer em até quatro semanas, a mulher precisa fazer um exame de gravidez.

Em quais casos a Pílula de Emergência é indicada?

Preste bem atenção nas únicas circunstâncias específicas em que é recomendado fazer uso desse método de contracepção emergencial: • Quando por algum motivo o casal fizer sexo com penetração sem nenhum tipo de proteção, seja preservativo ou Anticoncepcional; • Quando a camisinha estoura durante o ato e a mulher não faz uso de nenhum outro método para evitar gravidez. E ainda assim não fique pensando que transar sem proteção e tomar a pílula já resolve. Quanto mais pílulas você tomar, menos eficácia ela vai ter e mais chances de engravidar você terá. De modo geral, não há uma idade mínima para se fazer uso do medicamento. Se a mulher já tiver uma vida sexual ativa ela está suscetível a derrepente precisar usar o método de emergência. Agora quando o seu período fértil termina, ela não precisa mais fazer uso da pílula. E lembrando que o remédio é carregado de hormônio e você precisa da indicação médica para fazer uso. Em quais casos a Pílula de Emergência não é indicada? Assim como existem circunstâncias em que ela é indicada, há também as contraindicações, como ocorre com qualquer tipo de medicamente. Basicamente a pílula de emergência não é indicada para mulheres que sofrem de pressão alta descontrolada, de problemas Vasculares, Enfermidades no Sangue ou Quadro de Obesidade Mórbida. Se você se encaixa em uma dessas contraindicações e mesmo assim tomar o medicamento, as chances de ele não funcionar será enorme, fora o fato de que o seu problema pode ser ainda mais agravado. É o médico que pode lhe orientar precisamente se você pode ou não derrepente usar a emergência se isso um dia for preciso. Para fumantes também não é indicado o uso da Pílula do dia seguinte, justamente porque a combinação dessa droga com o medicamento pode trazer malefícios para a saúde da mulher. Existem pílulas que possuem Estrogênio e esse hormônio é vasoconstritor, o que faz com que os vasos de sangue se contraiam. A nicotina presente no cigarro também tem essa capacidade e por isso, quando associados, aumentam as chances da ocorrência de um Derrame ou de uma Trombose. Profissionais de Ginecologia podem ainda dar muitas outras contraindicações, assim é importante consulta-lo para que ele faça uma avaliação geral de sua condição.

Preste bem atenção nas únicas circunstâncias específicas em que é recomendado fazer uso desse método de contracepção emergencial:

• Quando por algum motivo o casal fizer sexo com penetração sem nenhum tipo de proteção, seja preservativo ou Anticoncepcional;

• Quando a camisinha estoura durante o ato e a mulher não faz uso de nenhum outro método para evitar gravidez.

E ainda assim não fique pensando que transar sem proteção e tomar a pílula já resolve. Quanto mais pílulas você tomar, menos eficácia ela vai ter e mais chances de engravidar você terá.

De modo geral, não há uma idade mínima para se fazer uso do medicamento. Se a mulher já tiver uma vida sexual ativa ela está suscetível a derrepente precisar usar o método de emergência.

Agora quando o seu período fértil termina, ela não precisa mais fazer uso da pílula. E lembrando que o remédio é carregado de hormônio e você precisa da indicação médica para fazer uso.

Em quais casos a Pílula de Emergência não é indicada?

Assim como existem circunstâncias em que ela é indicada, há também as contraindicações, como ocorre com qualquer tipo de medicamente. Basicamente a pílula de emergência não é indicada para mulheres que sofrem de pressão alta descontrolada, de problemas Vasculares, Enfermidades no Sangue ou Quadro de Obesidade Mórbida.

Se você se encaixa em uma dessas contraindicações e mesmo assim tomar o medicamento, as chances de ele não funcionar será enorme, fora o fato de que o seu problema pode ser ainda mais agravado. É o médico que pode lhe orientar precisamente se você pode ou não derrepente usar a emergência se isso um dia for preciso.

Para fumantes também não é indicado o uso da Pílula do dia seguinte, justamente porque a combinação dessa droga com o medicamento pode trazer malefícios para a saúde da mulher.

Existem pílulas que possuem Estrogênio e esse hormônio é vasoconstritor, o que faz com que os vasos de sangue se contraiam. A nicotina presente no cigarro também tem essa capacidade e por isso, quando associados, aumentam as chances da ocorrência de um Derrame ou de uma Trombose.

Profissionais de Ginecologia podem ainda dar muitas outras contraindicações, assim é importante consulta-lo para que ele faça uma avaliação geral de sua condição.

De que forma você deve usar o medicamento?

Não há segredo na hora de tomar uma Pílula de emergência. Para as de dose única a recomendação é tomar no máximo até setenta e duas horas depois da relação sexual. Se você puder tomar logo em seguida, melhor ainda, lembrando que entre o período de doze e vinte e quatro horas depois de do sexo desprotegido, o uso da pílula é mais eficaz.

Se você decidir tomar a versão de duas doses, o indicado é que tome a primeira pílula logo depois da relação íntima e a segunda precisa tomar exatamente doze horas depois da primeira.

Não é indicado que tome a pílula do dia seguinte mais de uma vez no mesmo mês, pois como já mencionamos, quanto mais ela é usada, mais ela perde a sua eficácia. Sem contar os efeitos colaterais que ele provoca.

Pílulas do dia Seguinte mais usadas

As marcas mais comuns da pílula são a Postinor-2, a Pilem, o Pozato, a Diad, a Minipil 2- post e a Posloy. Você pode comprar o medicamento em qualquer Farmácia, sem precisar de prescrição médica, ou pode conseguir gratuitamente nos Postos de saúde. Veja o que você pode fazer quando sentir algum dos efeitos colaterais Se você precisar tomar a pílula e começar a sentir um ou mais efeitos colaterais, você pode tomar algumas medidas que irão te ajudar a fugir deles. Veja mais a seguir: • Em caso de Sentir Náuseas ou vomitar, a dica é comer alguma coisa logo depois de tomar o medicamento. Se derrepente você começar a sentir enjoo, a dica é tomar um chazinho de gengibre ou de cravo-da-índia com canela, pois ajudam a driblá-lo. • Em caso de Cefaleia ou dores no abdômen, a dica é tomar algum remédio de função analgésica, como por exemplo, o famoso Paracetamol ou Dipirona. • Em caso de sentir os seios mais sensíveis, a dica é fazer compressas com água morna e colocar na região, pois ajuda a aliviar as dores. Tomar banho com água mais morninha também ajuda e fazer massagens suaves no local também. • Em caso de diarreias, a dica é beber bastante líquido e evitar o consumo de alimentos muito gordurosos, de leite, ovo, bebida alcoólica, chá preto, de camomila ou chá de folhas de goiabeira.

As marcas mais comuns da pílula são a Postinor-2, a Pilem, o Pozato, a Diad, a Minipil 2- post e a Posloy. Você pode comprar o medicamento em qualquer Farmácia, sem precisar de prescrição médica, ou pode conseguir gratuitamente nos Postos de saúde.

Veja o que você pode fazer quando sentir algum dos efeitos colaterais

Se você precisar tomar a pílula e começar a sentir um ou mais efeitos colaterais, você pode tomar algumas medidas que irão te ajudar a fugir deles. Veja mais a seguir:

• Em caso de Sentir Náuseas ou vomitar, a dica é comer alguma coisa logo depois de tomar o medicamento. Se derrepente você começar a sentir enjoo, a dica é tomar um chazinho de gengibre ou de cravo-da-índia com canela, pois ajudam a driblá-lo.

• Em caso de Cefaleia ou dores no abdômen, a dica é tomar algum remédio de função analgésica, como por exemplo, o famoso Paracetamol ou Dipirona.

• Em caso de sentir os seios mais sensíveis, a dica é fazer compressas com água morna e colocar na região, pois ajuda a aliviar as dores. Tomar banho com água mais morninha também ajuda e fazer massagens suaves no local também.

• Em caso de diarreias, a dica é beber bastante líquido e evitar o consumo de alimentos muito gordurosos, de leite, ovo, bebida alcoólica, chá preto, de camomila ou chá de folhas de goiabeira.

Afinal, a pílula do dia seguinte tem função abortiva?

É comum alguma menina ou mulher achar que a gravidez evitada pela pílula emergencial é fruto de um aborto induzido. Porém não é bem isso que ocorrer. A depende da fase do ciclo menstrual que uma mulher acaba tomando a pílula, ela pode impedir ou retardar a ovulação ou simplesmente impedir que ocorra a fecundação do óvulo. Em outras palavras, quando a pílula inibe ou retarda a ovulação, isso faz com que o óvulo não seja fecundado pelo espermatozoide e quando ela aumenta o nível de viscosidade do muco da vagina, ela impede que o espermatozoide chegue até o óvulo para fecundá-lo. Se por acaso a mulher tomar a pílula, mas o óvulo já ter sido fecundado, isso não necessariamente quer dizer que a gestação será interrompida. Esse não é o propósito da pílula de emergência. Quantas vezes você pode usar a Pílula de Emergência? Há fontes que afirmam que no máximo se deve usar duas pílulas de emergência em um ano e olhe lá. Não sabemos ao certo quantas podemos tomar sem ter maiores problemas, mas uma coisa é comprovada: Sua dose de hormônios é muito elevada e por isso o seu uso deve ser feito de forma esporádica. A pílula faz mal para a mulher? Basicamente a pílula do dia seguinte só vai fazer mais para a mulher que toma de duas ou mais pílulas todo mês. O uso indevido desse tipo de medicamento de emergência, eleva as chances de se desenvolver Câncer mamário, Câncer Uterino, Trombose, Embolia Pulmonar e ainda pode acabar fazendo surgir problemas em alguma futura gestação.

É comum alguma menina ou mulher achar que a gravidez evitada pela pílula emergencial é fruto de um aborto induzido. Porém não é bem isso que ocorrer.

A depende da fase do ciclo menstrual que uma mulher acaba tomando a pílula, ela pode impedir ou retardar a ovulação ou simplesmente impedir que ocorra a fecundação do óvulo.

Em outras palavras, quando a pílula inibe ou retarda a ovulação, isso faz com que o óvulo não seja fecundado pelo espermatozoide e quando ela aumenta o nível de viscosidade do muco da vagina, ela impede que o espermatozoide chegue até o óvulo para fecundá-lo.

Se por acaso a mulher tomar a pílula, mas o óvulo já ter sido fecundado, isso não necessariamente quer dizer que a gestação será interrompida. Esse não é o propósito da pílula de emergência.

Quantas vezes você pode usar a Pílula de Emergência?

Há fontes que afirmam que no máximo se deve usar duas pílulas de emergência em um ano e olhe lá. Não sabemos ao certo quantas podemos tomar sem ter maiores problemas, mas uma coisa é comprovada: Sua dose de hormônios é muito elevada e por isso o seu uso deve ser feito de forma esporádica.

A pílula faz mal para a mulher?

Basicamente a pílula do dia seguinte só vai fazer mais para a mulher que toma de duas ou mais pílulas todo mês. O uso indevido desse tipo de medicamento de emergência, eleva as chances de se desenvolver Câncer mamário, Câncer Uterino, Trombose, Embolia Pulmonar e ainda pode acabar fazendo surgir problemas em alguma futura gestação.

Quem usa a Pílula do dia Seguinte pode ficar infértil?

Ainda não existe nenhuma prova de caráter científico que afirme que usar a pílula de emergência pode deixar a mulher infértil, com má formação no feto ou que ela tenha de fato uma gravidez ectópica, isso se ela usar a pílula de forma bem esporádica, somente em emergências.

Sabemos que se usar o medicamento com frequência essas chances aumentam muito, mas para quem só precisou usar uma vez ou outra, de forma emergencial, não existem relatos de que esses problemas também possam acontecer.

O funcionamento do Anticoncepcional é alterado caso a mulher tome a Pílula de emergência?

A pílula de emergência não tem a capacidade de alterar o efeito da Anticoncepcional no organismo feminino. Em vista disso, a orientação é sempre tomar no horário marcado, diariamente até finalizar a cartela. Quando o período de pausa chegar, espere a menstruação descer como de costume, mas se isso não acontecer, procure imediatamente um médico ginecologista de sua confiança. A pílula evita gravidez de relações desprotegidas feitas depois em que ela é tomada? Muitos casais têm dúvidas sobre o efeito da pílula no organismo. Há quem acredite, que depois de tomar o medicamento, se transar sem camisinha ainda está protegido e não é bem assim que as coisas funcionam. Como já ressaltamos, a Pílula do dia seguinte dose única é para ser tomada em casos de extrema urgência e se depois disso o casal resolver transar sem a devida proteção, existirá sim o risco de ocorrer uma gravidez indesejada. Para evitar maiores frustações, o recomendado é que a mulher procure um médico ginecologista e converse sobre fazer uso de algum método contraceptivo diário, como é o caso da Pílula Anticoncepcional. Desse modo, se a camisinha estourar durante a relação, ambos ainda estarão protegidos, pois utilizam um segundo método e se de repente deslizarem e não usarem proteção, ainda assim não haverá chance de gravidez se a mulher, é claro, tomar direitinho a cartela da pílula Anticoncepcional. De toda forma, a Pílula do dia seguinte não deve ser incluída na sua rotina. Ela é emergencial. E para todos os casos, o preservativo nunca deve ser deixado de lado, afinal Doenças Sexualmente Transmissíveis existem por aí, e só ele é capaz de nos proteger delas.

A pílula de emergência não tem a capacidade de alterar o efeito da Anticoncepcional no organismo feminino. Em vista disso, a orientação é sempre tomar no horário marcado, diariamente até finalizar a cartela.

Quando o período de pausa chegar, espere a menstruação descer como de costume, mas se isso não acontecer, procure imediatamente um médico ginecologista de sua confiança.

A pílula evita gravidez de relações desprotegidas feitas depois em que ela é tomada?

Muitos casais têm dúvidas sobre o efeito da pílula no organismo. Há quem acredite, que depois de tomar o medicamento, se transar sem camisinha ainda está protegido e não é bem assim que as coisas funcionam.

Como já ressaltamos, a Pílula do dia seguinte dose única é para ser tomada em casos de extrema urgência e se depois disso o casal resolver transar sem a devida proteção, existirá sim o risco de ocorrer uma gravidez indesejada.
Para evitar maiores frustações, o recomendado é que a mulher procure um médico ginecologista e converse sobre fazer uso de algum método contraceptivo diário, como é o caso da Pílula Anticoncepcional.

Desse modo, se a camisinha estourar durante a relação, ambos ainda estarão protegidos, pois utilizam um segundo método e se de repente deslizarem e não usarem proteção, ainda assim não haverá chance de gravidez se a mulher, é claro, tomar direitinho a cartela da pílula Anticoncepcional.

De toda forma, a Pílula do dia seguinte não deve ser incluída na sua rotina. Ela é emergencial. E para todos os casos, o preservativo nunca deve ser deixado de lado, afinal Doenças Sexualmente Transmissíveis existem por aí, e só ele é capaz de nos proteger delas.

Avatar

Written by Carolina Santos

Deixe uma resposta

Se você é mulher muito provavelmente sabe que a região do Clitóris é uma das regiões que mais podem surpreender e que muitas vezes é subestimada. E embora cerca de 50% da população possuir este órgão sexual, pouco se ouvia falar sobre ele. Você sabia que em alguns casos é possível sentir dor no clitóris? O texto de hoje irá te dar todo os detalhes sobre o assunto e ainda te ajudar a prevenir esse tipo de desconforto no local. Leia com bastante atenção e não esqueça de chamar as amigas para aprender um pouco mais sobre o órgão feminino de suma importância no corpo de uma mulher!

Dor no Clitóris: O que pode ser?

Veja um Pouco Sobre Esta Data Aqui Dicas de Menina

Dia da Gestante: Veja um Pouco Sobre Esta Data Aqui!