in ,

Espinhas no Couro Cabeludo – Causas, Sintomas, Tratamento

Espinhas no Couro Cabeludo Dicas de Menina
Foto: via Women´s Health

Espinhas no couro cabeludo, um problema que também é conhecido como foliculite, pode ser muito incômodo, especialmente quando você penteia os cabelos, o que causa dor.

Entre os sintomas mais comuns que a foliculite provoca estão alergia, cravo, coceira e até mesmo queda de cabelo.

Existem três tipos de foliculite no couro cabeludo como a foliculite, a foliculite decalvante e a foliculite queloidiana da nuca.

A seguir você vai saber mais sobre esses tipos de espinha no couro cabeludo, seus sintomas, tratamento e mais informações que vão te ajudar a entender melhor essa infecção e como se prevenir contra ela.

Vamos conferir?

Como é causada a foliculite no couro cabeludo?

A foliculite ocorre quando os folículos capilares ficam obstruídos e então acontece uma inflamação, provocando o aparecimento das espinhas.

Isso pode ocorrer por várias razões entre elas:

  • Lavagem incorreta dos cabelos, gerando excesso de sebo, que acaba bloqueando os folículos capilares;
  • Implante de cabelo;
  • Cabelos muito enrolados que quando crescem dentro do folículo podem acabar bloqueando a passagem;
  • Suor excessivo, como quando praticamos exercícios físicos intensos;
  • Ferimentos causados por coçar a cabeça com as unhas, o que pode gerar uma infecção tanto por parte de micro-organismos que ficam no couro cabeludo quanto germes que se encontram nas unhas.  

Quais os tipos de foliculite no couro cabeludo?

Existem três tipos de foliculite que podem ser causadas no couro cabeludo. Entre elas:

Foliculite

Pode ser provocada por falta de higiene no couro cabeludo e é caracterizada pela formação de bolinhas vermelhas no local onde se encontram os folículos pilosos. Geralmente ocorre em homens.

Foliculite Decalvante

É um tipo de foliculite grave que pode causar alopecia (perda de cabelo). Ela pode acometer tanto adolescentes como adultos, especialmente homens negros.

Ela tem como característica o surgimento de caroços que podem evoluir para bolinhas vermelhas com pus. A principal bactéria causadora da infecção é a Staphylococcus aureus.

Foliculite queloidiana da nuca

Essa foliculite é caracterizada pela formação de queloides na parte de trás da cabeça. Assim como a foliculite decalvante é mais comum ocorrer em homens negros.

Ela pode ser causada através de fios de cabelos que encravam nos folículos pilosos, quando são feitos cortes de cabelo muito rentes ao couro cabeludo, devido ao uso de bonés e outros acessórios para a cabeça, suor excessivo, irritações da pele, falta de higiene e infecções por micro-organismos.

Leia também:  Espinha na Cabeça: Bebê, Stress, Queda de Cabelo

Por que a foliculite no couro cabeludo acontece mais nos homens?

Qualquer pessoa pode ter foliculite no couro cabeludo, mas geralmente os homens são mais acometidos por esse problema.

Isso acontece, pois eles suam mais, produzem mais sebo e ainda podem utilizar bonés e cosméticos para o cabelo que não são recomendados.

Quais os sintomas da foliculite no couro cabeludo?

Causas, Sintomas, Tratamento Dicas de Menina
Foto: via Beleza Um Como

Entre os sintomas que a foliculite no couro cabeludo pode causar, estão:

  • Formação de espinhas vermelhas ao redor dos folículos pilosos, que podem ter ou não pus;
  • Pele inflamada e vermelha;
  • Coceira e sensação de dor na região que foi infectada;
  • Cicatrizes;
  • Crescimento irregular de pele, formando queloides como no caso da foliculite queloidiana da nuca;
  • Formação de cravos, devido a fios de cabelos encravados;
  • Em casos mais graves como a foliculite decalvante pode haver a destruição dos folículos pilosos, o que pode provocar queda de cabelo.

Como é feito o diagnóstico da foliculite no couro cabeludo?

Ao notar algum dos sintomas descritos acima é importante que você vá a um dermatologista, pois ele dará o diagnóstico e o tratamento necessário.

No caso do diagnóstico, o médico fará um exame físico e poderá fazer uma biópsia das espinhas para realizar exames e identificar qual a causa da foliculite, ou seja, qual micro-organismo causou a infecção, para que assim realize um tratamento específico para seu caso.

Como é o tratamento da foliculite no couro cabeludo?

O tratamento vai depender do tipo de foliculite que você contraiu, sendo que o médico pode receitar medicamentos para combater a infecção como antibióticos e antifúngicos, o uso de loções para abrandar a coceira, xampu antisséptico, xampu anticaspa e pomadas específicas.

Quais cuidados tomar durante o tratamento da foliculite no couro cabeludo?

Causas, Sintomas, Tratamento Dicas de Menina
Foto: via Catran

Além do tratamento indicado pelo médico, que é essencial, você também pode recorrer a alguns cuidados para atenuar os sintomas.

Entre eles:

  • Lavar a área afetada com sabão antisséptico duas vezes por dia antes de aplicar a pomada indicada pelo médico, também é bom secar com um pano limpo e uma toalha macia;
  • Colocar um pano quente úmido na região inflamada para aliviar a dor e a coceira;
  • Usar uma loção de aveia ou creme de hidrocortisona;
  • Não usar toalhas e panos de outras pessoas nem emprestar os seus e quando for lavá-los utilizar água quente e sabão, para desinfetar;
  • Não cutuque nem esprema as espinhas no couro cabeludo, pois você poderá agravar ainda mais a inflamação.  

 A foliculite no couro cabeludo tem cura?

Apesar de o tratamento ajudar a resolver o problema, a foliculite pode voltar, por isso é importante seguir todas as orientações do médico.

Pode haver complicações?

Pode haver complicações nos casos mais graves de foliculite como a foliculite decalvante que pode provocar a morte do folículo piloso e assim consequentemente alopecia, em que ocorre a queda de cabelos.

A foliculite também pode deixar cicatrizes ou manchas, que geralmente são bem escuras.

Como se prevenir contra as espinhas no couro cabeludo?

Para evitar as espinhas no couro cabeludo é bom se prevenir. Para isso você deve tomar algumas atitudes, entre elas:  

Leia também:  Espinha na Cabeça: Bebê, Stress, Queda de Cabelo

Lavar os cabelos com regularidade

Causas, Sintomas, Tratamento Dicas de Menina
Foto: via Uol Notícias

É importante que você não fique muito tempo sem lavar os cabelos. Pois o excesso de sebo na raiz pode provocar a foliculite.

Por isso o indicado é que assim que notar que seu couro cabeludo está oleoso lave os cabelos. Dessa forma você vai retirar o excesso de sebo, deixando os fios limpos.

Quando lavar os fios você deve aplicar um xampu e retirá-lo bem da raiz para não tapar os poros.  

Aplique o xampu na raiz dos cabelos

O xampu deve ser aplicado na raiz dos cabelos para que possa realizar a limpeza do couro cabeludo e retirar a abundância de sebo.

Quando for usar o xampu é indicado fazer movimentos circulares na raiz para que seja realizada uma espécie de esfoliação, otimizar a circulação de sangue no local e também remover as células mortas que também podem obstruir os folículos capilares.

Evite usar xampu a seco

Geralmente o xampu a seco é usado para disfarçar o excesso de sebo dos cabelos, no entanto ao invés de resolver o problema você acaba apenas disfarçando.

Assim por baixo do xampu seco ainda haverá uma camada oleosa com células mortas, que poderá obstruir os poros e provocar a foliculite. Por isso você deve evitar usá-lo e dar preferência a lavar o cabelo propriamente dito.

Aplique o condicionador e a máscara capilar apenas no comprimento e nas pontas

Já o condicionador e a máscara capilar devem ser passados apenas no comprimento e nas pontas dos fios, já que contem mais óleo que o xampu e podem acabar deixando o couro cabeludo oleoso.

Não utilize esfoliante no couro cabeludo

Se você está com foliculite, saiba que não é indicado utilizar esfoliante no couro cabeludo, pois como a pele da região é mais frágil você pode inflamar ainda mais o local e assim ao invés de resolver o problema vai apenas piorar, podendo até mesmo causar queda capilar.

Tenha bons hábitos alimentares

Causas, Sintomas, Tratamento Dicas de Menina
Foto: via Women´s Health

É importante ter bons hábitos alimentares, pois uma má alimentação pode provocar o aumento da produção de sebo.

Entre esses alimentos estão os ricos em gordura e tóxicos como carnes gordurosas, bolacha, salgadinho, lasanha congelada, salsicha, manteiga, entre outros.

Quando comemos esses alimentos em excesso, o fígado não consegue eliminar toda a gordura, por isso que a pele passa a expulsar a gordura junto com o sebo e assim a oleosidade da pele aumenta, o que pode promover a foliculite.

Existem outros tipos de foliculite?

Sim, a foliculite pode ocorrer em toda região do corpo em que houver pelos. Confira alguns tipos de foliculite e entenda suas diferenças:

Foliculite de banheira quente

Também chamada de foliculite por pseudomas, ela é causada pela infecção da bactéria Pseudomas aeruginosa. Essa bactéria cresce em meios aquáticos como piscinas aquecidas e banheiras de hidromassagem.

Esse tipo de foliculite causa bolinhas vermelhas, coceira e conforme o problema vai se agravando bolhas com pus. Os locais do corpo que mais aparecem esse tipo de foliculite são as que ficam úmidas por um longo tempo.

Leia também:  Espinha na Cabeça: Bebê, Stress, Queda de Cabelo

Foliculite ptirospórica

Essa foliculite é causada por um fungo e costuma aparecer em adolescentes e homens.

Como característica ela tem a formação de bolinhas vermelhas acompanhadas de coceira que podem ocorrer em diferentes locais do corpo, como dorso, pescoço, braços, ombros, tórax e rosto.

Foliculite estafilocócica

Causas, Sintomas, Tratamento Dicas de Menina
Foto: via Gazeta do Oeste

Esse tipo de foliculite é o que mais ocorre e aparece através da infecção da bactéria Staphylococcus aureus. Essa bactéria geralmente vive na pele, mas pode infeccioná-la através de um ferimento ou corte.

A foliculite estafilocócica pode aparecer em qualquer local em que tenha folículos pilosos.

Pseudofoliculite da barba

Esse tipo de foliculite ocorre através da infecção dos folículos pilosos que se encontram na área do rosto em que há barba.

A infecção acontece devido ao encravamento dos pelos que foram aparados, ocorrendo maiormente em homens afrodescendentes. Como característica desse tipo de foliculite está inflamação e cicatrizes.

Pseudofoliculite na virilha

Esse tipo de foliculite é causado especialmente nas mulheres, quando fazem depilação com cera, pois os pelos podem nascer encravados.

Assim como a pseudofoliculite da barba, esta também provoca infecção e cicatrizes.

Foliculite por bactéria gram-negativa

Essa foliculite é causada pelo uso de antibióticos para tratar espinhas. Pois pode provocar um desequilíbrio da pele, favorecendo o crescimento de bactérias gram-negativas.

Essas bactérias podem provocar infecções e se espalhar pelo rosto.

Sicose barba

Nesse tipo de foliculite ocorrem inflamações que aparecem no lábio superior, queixo e mandíbula. Ela é causada através do hábito de se barbear todos os dias. Como complicação a sicoce barba pode proporcionar cicatrizes.

Foliculite eosinofílica

Causas, Sintomas, Tratamento Dicas de Menina
Foto: via Farmácias Pague Menos

Essa foliculite ocorre em pessoas que possuem o vírus do HIV. Ela é caracterizada pela formação de manchas vermelhas e feridas com pus nas áreas dos braços e do rosto.

A foliculite eosinofílica pode provocar coceira e quando é agravada as manchas podem se espalhar pela pele, deixando os locais infeccionados mais escuros.

Não se sabe o que provoca esse tipo de foliculite, mas se supõe que o causador possa ser o mesmo fungo que causa a foliculite ptirospórica.

Furúnculo

Esse tipo de foliculite acontece através da infecção de bactérias estafilocócicas, podendo aparecer atrás do pescoço, costas, ombros e coxas.

Como característica o furínculo se apresenta através de bolinhas vermelhas, inchadas e que são doloridas. Conforme o problema se agrava, a bolinha se enche de pus e cresce mais.

Em situações graves a solução é drenar o pus. O quadro pode evoluir para carbúnculo, que nada mais é do que um amontoado de furúnculos e pode deixar cicatrizes.

Como vimos a foliculite no couro cabeludo é um problema que deve ser tratado. Por isso a qualquer sinal de bolinhas vermelhas no couro cabeludo, o indicado é consultar um dermatologista para poder fazer o tratamento.

O tratamento só pode ser indicado por um médico e é realizado através da ingestão de medicamentos que combatem a infecção, xampus antissépticos e pomadas.

É importante que o problema seja bem cuidado, caso contrário poderá voltar.

Também é possível tomar alguns cuidados para ajudar no tratamento como não cutucar as lesões, lavar a área afetada com sabão antisséptico e secar com uma toalha macia, evitar compartilhar toalhas e panos e colocar um pano quente e úmido na região para atenuar a coceira e a dor.

É bom lembrar que o problema pode ser prevenido através de alguns cuidados ao lavar os cabelos e cuidar da alimentação, evitando alimentos gordurosos. Dessa forma você vai ajudar seu organismos a manter a produção de sebo sob controle.

Existem outros tipos de foliculite além da que aparece no couro cabeludo e que podem surgir em diferentes regiões do corpo como queixo, coxas, virilha, costas, dorso, rosto, entre outros.

A melhor forma de se cuidar é evitando a foliculite e observar, para que dessa forma você possa tomar todos os cuidados necessários para evitar o problema.

Maquiagem verão: Truques incríveis para você arrasar!

Argila Preta Dicas de Menina

Argila Preta – Para que serve, Quais seus benefícios, Como usar