Categorias
Saúde

Corrimento com Sangue: O que pode ser?

O Universo Feminino já está acostumado com as secreções que a região Vaginal por ventura libera. Em determinadas situações, a mulher pode ter corrimento com sangue, por exemplo. Mas como ela consegue detectar quando essa quantidade expelida é regular ou se ela indica que algo está errado?

Simples: É a quantidade que vai mostrar se há algo irregular. Além disso, aspectos como cor e cheiro também indicam anormalidades, sem contar os indícios específicos que certas doenças de caráter genital costumam causar.

Quando a substância liberada pela Vagina é considerada normal, ela pode acabar apresentando um tipo de cheiro sem nenhuma especificidade e vai variar de uma mulher para outra. Ou seja, o que é normal para você não necessariamente é o normal de outra menina.

A quantidade dessa substância poder sofrer variações dependendo da fase do ciclo de menstruação em que a mulher se encontra. Quando a segunda metade desse ciclo chega, por exemplo, a quantidade da substância tende a ser bem mais elevada, fazendo até com que as roupas da menina fiquem sujas, em alguns casos.

Anteriormente a ocorrência da menarca e um pouco depois do início do período da Menopausa, essa substância liberada pela Vagina acaba sendo tão pequena, que praticamente é inexistente. Isso ocorre porque nessas fases o nível hormonal feminino se encontra baixo.

Quando a mulher está grávida, pelo nível hormonal aumentar, esse conteúdo pode consequentemente aumentar. Aliás, cada corrimento pode apresentar uma cor e cada cor pode indicar um problema em especial.

Indícios que indicam a existência de Corrimento Vaginal

Para que você conseguir identificar se a sua Vagina está liberando Corrimento, preste atenção nos principais indícios típicos desse problema:

  • A substância expelida pela Vagina aumenta de quantidade;
  • Geralmente suas roupas ficam úmidas ou molhadas por conta dessa substância;
  • Se antes a coloração era esbranquiçada ou cristalina e de repente ficou meio amarelada ou com aspecto puxado para essa coloração;
  • Se você sente um mau odor depois de fazer sexo ou quando a menstruação chega no seu fim.

Sintomas do Corrimento na Vagina

Quando a mulher de fato está passando por problemas com corrimento vaginal, alguns sintomas específicos também podem aparecer. Preste atenção nos principais:

  • Coceiras nas regiões da Vulva e da Vagina;
  • Sensação de Ardência nas regiões afetadas;
  • Dores na Região Pélvica;
  • Sensação de ardor e dores quando vai fazer xixi;
  • Dores durante a prática da Relação Sexual.

Significado das colorações cujo Corrimento pode apresentar

Como já mencionamos, na medida em que esse corrimento vai começando a evidenciar determinada coloração, quantidade, odor e consistência maior do que a do normal, pode estar indicando a existência de algum tipo de Infecção eu tenha afetado a região da Vagina, das quais podemos citar a Candidíase e a Tricomoníase, por exemplo.

Inclusive, essas mudanças específicas também pode ser o indício de alguma Doença Sexualmente Transmissível, como ocorre no caso da Gonorreia.

Em vista disso, é fundamental ficar em alerta. Se a cor do corrimento deixa de ser transparente para apresentar colorações brancas, amarelas, verdes, rosas ou marrons, o médico precisa ser consultado.

Afinal, se existe a chance de você está com algum problema de infecção na área íntima, é preciso tratar de forma imediata para evitar problemas maiores e desconfortos. O primeiro passo é saber o que cada cor representa, assim seu médico conseguirá te ajudar de forma rápida e indicar o tratamento correto para você.

A seguir iremos lhe mostrar o que cada coloração indica. Preste bem atenção!

  1. Quando tem coloração Branca

Caso seu corrimento tenha cor Branca e espessura mais densa, como se fosse um leite que tenha ficado coalhado, fique atenta.

É comum esse tipo de Corrimento vir mutuamente com outros indícios, dos quais podemos dar destaque às coceiras, ao aspecto avermelhado e a sensação desconfortável de que a região da Vulva e da Vagina estão queimando.

Geralmente, esse tipo de substância é decorrente de um problema conhecido como Candidíase, que acaba afetando a região da Vagina. Para quem não sabe, trata-se de um tipo de Infecção que é provocada por m fungo chamado de Cândida.

Na medida em que a mulher recebe esse diagnóstico, costuma iniciar todo processo tratamentoso, à base de remédios com propriedades Antifúngicas. Além disso, algumas pomadas também podem ser indicadas para aplicar no local afetado.

Agora se o branco do corrimento for similar ao leite, apresentar consistência homogênea e certo odor bem desagradável, parecido com o cheiro do peixe, pode ser indício de alguns problemas, como é o caso da Colpite, que basicamente é uma Vaginose decorrente da proliferação de determinados Protozoários, fungos ou até bactérias.

Em vista disso, é importante ir em busca de ajudar profissional para receber o diagnóstico preciso e iniciar o tratamento apropriado.

  1. Quando tem Coloração Amarela/Amarela-Esverdeada

Se seu caso evidencia aspecto que pode ir desde o amarelado, até o mais cinza ou amarelado-esverdeado, acompanhado de um odor desagradavelmente forte, fique atenta também, que pode indicar outros problemas.

Caso essa coloração venha acompanhada de sintomas tais como dores na região, sensação de que a região íntima está queimando no decorrer  do sexo e quando vai fazer xixi, indica sinais de um problema chamado Tricomoníase.

Para quem não sabe, esse problema é de caráter infeccioso e é decorrente de uma Relação Sexual Desprotegida. Quando a mulher receber o diagnóstico, geralmente trata o problema com medicamento antifúngicos e esse tratamento pode durar entre cinco e sete dias.

Aliás, quando o problema tem aspecto mais amarelo e mutuamente apresenta pus, sinaliza a possível existência de Clamídia, que também é uma Doença decorrente de Sexo Desprotegido e na maioria do caos é assintomática.

Quando esse é o diagnóstico confirmado, a mulher se trata com um medicamento chamado de Azitromicina. Esse remédio é uma dosagem única que é tomada entre sete ou quinze dias, enquanto o processo de cuidado é feito.

Se o problema apresentar coloração puxada para o verde, pode ser sintoma também de uma Tricomoníase ou também de Vulvovaginite. Para saber o diagnóstico preciso é importantíssimo consultar ajuda profissional.

  1. Quando é Amarronzado ou com presença de Sangue

Se o seu corrimento está com uma cor mais amarronzada ou está tendo a presença de um pouco de sangue, e vir acompanhado com dores ou ardores no momento em que você faz xixi, pode indicar alguns problemas, obviamente.

Geralmente, o que causa esses sinais é a doença de Gonorreia, que é decorrente de uma Relação Sexual desprotegida, cuja bactéria acaba se proliferando. Caso a mulher seja diagnosticada com esse problema, pode acabar se tratando com um remédio chamado Azitromicina ou outro chamado de Ciprofloxacino. O processo de cuidado pode perdurar por até dez dias.

Existem algumas situações em que o caso é mais gravídico. Esse tipo de corrimento pode ser indício de Câncer na região Vaginal, ou na do Colo do Útero ou ainda na região do Endométrio.

Em vista desses riscos mais graves, de forma nenhuma a mulher deve deixar de lado tais sintomas. É necessário sim ir ao médico e descobrir o que de fato está acontecendo. Mas não se desespere, quando o ciclo menstrual acaba, pode ocorrer esse tipo de corrimento, acompanhado com sangue ou com aspecto rosado, isso não necessariamente significa que algo de errado está acontecendo.

  1. Quando o fato ocorre durante a Gestação

Quando a mulher está gestante, o Corrimento pode acabar surgindo e se isso acontecer ela deve ir imediatamente ao médico para tratar de forma correta esse problema. Desse modo, ela conseguirá evitar que algum problema maior surja e prejudique a criança.

É comum que esse corrimento gestacional ocorra devido a problemas como Tricomoníase, Vaginose causada por bactérias, Gonorreia ou inclusive Candidíase. O tratamento é feito à base de remédios de caráter antifúngico ou a base de Antibióticos.

Portanto, vale ressaltar: Se você está grávida, assim que notar alguns desses sintomas, não perca tempo e vá logo em busca de um profissional para diagnosticar e tratar o possível problema imediatamente.

  1. Quando tem Aspecto Transparente

Esse tipo de corrimento, costuma ser mais comum e por ter aspecto transparente ele geralmente indica que uma mulher está no seu período de Fertilidade. Portanto, se você está planejando ter um filho, o momento perfeito para tentar é nessa fase.

O corrimento transparente, pode durar por até seis dias corridos e desaparece de forma natural, assim que o período fértil acaba.

  1. Quando tem Aspecto Rosado

Se você está apresentando um corrimento com coloração mais rosa, existe a chance de você estar grávida. Esse corrimento surge depois que o óvulo é fecundado e ela costuma aparecer três dias depois da relação sexual sem proteção.

Além disso com o surgimento desse tipo de corrimento pode vir também alguns sintomas típicos como a Cólica, que é normal e inclusive melhora com o tratamento adequado.

Dicas para evitar que surja Corrimento Vaginal

Se o corrimento na Vagina é decorrente na maioria dos casos, de uma Infecção na Região. Para evitar tê-lo é preciso prevenir que tais infecções ocorram, concorda? Primeiramente, é fundamental que a mulher higienize bem a sua região íntima, por no mínimo uma ou duas vezes diariamente.

Quando for fazer essa higienização, as mãos precisam estar bem limpas e a limpeza deve ser feita com bastante água e com o auxílio de um sabonete neutro, passando delicadamente na região.

Posteriormente, é importante secar bem e com delicadeza toda a área íntima e colocar uma calcinha devidamente higienizada. Preste atenção em algumas outras dicas importantíssimas:

  • Dê preferência por usar calcinhas de Algodão;
  • Evite usar aqueles protetores diários;
  • Evite usar lencinho umedecidos ou papéis higiênicos aromatizados;
  • Quando for lavar a região, não esfregue. Apenas limpe delicadamente com um auxílio de um sabonete íntimo;
  • Procure se alimentar de forma saudável e equilibradamente. É muito importante comer frutas bem frescas, legumes e verduras. Com relação a frutas, de quatro a cinco porções diárias é o ideal, com mais três de legumes para completar o cardápio. De acordo com pesquisas, consumir Iogurtes cuja composição há rica fonte de Lactobacilos, ajuda a evitar certos tipos de Infecções. Sem dúvida, um cardápio saudável é o principal responsável por ajudar a mulher prevenir tais problemas;
  • Controlar eficazmente o Diabetes e a pressão alta;
  • Procure evitar usar antibióticos de forma desnecessária;
  • Procure não abusar do consumo de álcool e do cigarro;
  • Cultive hábitos saudáveis e de boa higienização das partes íntimas;
  • Depois da Micção, garanta que a Vulva fique bem limpa, para isso limpe-a com movimentos de frente para trás. Isso faz com que bactérias não consigam se proliferar, incluindo outros agentes de infecção localizados no ânus e que podem passar para a região vaginal;
  • Depois de evacuar, limpe-se bem, usando água e sabão neutro, sempre que puder;
  • Evite usar vasos sanitários fora de casa, sem nenhum tipo de protetor;
  • Pratique exercícios físicos de forma regular.

Tomando esses devidos cuidados você está prevenindo infecções na região Vagina e ainda está protegendo a mucosa da região. Em vista disso, fungos e bactérias não terão espaço para se desenvolver e promover o surgimento de Corrimentos.

Sangramento depois do Período da Menstruação: O que pode indicar?

Poucas sabem disso, mas sangrar um pouco mesmo depois da menstruação ter finalizado é algo normal de se acontecer. Isso pode ocorrer, por exemplo, quando a mulher acaba de realizar algum exame de caráter ginecológico ou quando ela muda a marca e o tipo do seu Anticoncepcional.

No geral, a maioria desses sangramentos inesperados são chamados de “Spotting” e não precisa ir atrás de nenhum tratamento, pois ele não indica necessariamente que atem algo de errado com a sua saúde.

Esses pequenos escapes de sangue podem durar até dois dias e acredite: é normal. Claro que em algumas situações, ele pode ser indício de que a mulher está grávida e ocorrer até três dias depois dela ter relação sexual sem proteção, ou ainda pode ser sinal de que a Menopausa está chegando (no caso de mulheres com idade maior do eu quarenta anos).

Mas se você não se enquadra em nenhuma dessas situações, não precisa se preocupar que esse pequeno escape não traz riscos maiores para a sua saúde.

O que pode causar esse Sangramento fora de hora?

Existem alguns fatores principais que podem provocar tais sangramentos. Veja a seguir alguns deles:

  • Crises de Estresse: Quando a mulher fica estressada, geralmente seus hormônios ficam desregulados, podendo surgir o escape de sangue. Mas isso é facilmente contornado, com a prática regular de exercícios físicos ou Aromaterapia.
  • Alteração do tipo de Anticoncepcional: É comum ocorrer o sangramento, na medida em que a mulher muda o seu método de contracepção. O recomendado é que ele espere esse sangramento passar, indicando que o corpo já se habituou ao método novo. Se isso não acontecer, é necessário que ela vá ao médico descobrir se o sangramento ocorrer de fato por conta da mudança em questão.
  • Existência de Pólipos Uterinos: Os pólipos ocorrem com mais frequência, na mulher que já se encontra no período de Menopausa. Eles indicam que as células presentem na parede de dentro do útero, estão crescendo excessivamente. Não é todo caso que precisa tratar isso, só quando há riscos de isso indicar algo maligno para a saúde.
  • Se a mulher tem a Síndrome do ovário Policístico: Essa Síndrome ocorre quando existem cistos na região ovariana. Tais cisto surgem por conta dos hormônios desequilibrados e precisa de tratamento adequado. É comum que o tratamento seja feito com Anticoncepcional, mas precisa consultar um médico para diagnosticar e receitar o ideal para cada caso.
  • Se a mulher tem Problemas de Tireoide: Quando os hormônios são produzidos de forma descontrolada, o sangramento fora de hora pode surgir. Quem tem Tireoide precisa inserir alimentos ricos em Iodo, Zinco e Selênio pois ajudam a promover a regulação desse descontrole.
  • Existência de algum tipo de Infecção: Infecções são decorrentes tanto de Fungos, como de Bactérias ou parasitas. Além disso, elas podem surgir devido a alguma enfermidade que seja transmitida sexualmente e quando isso ocorre, logo depois do sexo a mulher pode ter o sangramento.
  • Logo depois de fazer algum exame de caráter ginecológico: Exames como o Papanicolau, por exemplo, por serem invasivos podem provocar um pequeno escape de sangue logo depois de serem realizados. Isso é bem normal, não há com o que se preocupar.

Existem outros motivos que podem sim confirmar algo maior, por conta desse pequeno sangramento. Como é o caso da gravidez, que já mencionamos e também em casos de Câncer na região do Útero.

Por conta disso, é fundamental ir ao médico quando o escape ocorre, para confirmar que não há nada de mais errado. Pois caso haja, você descobre imediatamente e pode fazer o tratamento para melhorar de forma eficiente.

Quando o corrimento vem amarronzado, pode indicar uma Gestação a caminho?

Não necessariamente, um corrimento marrom vai indicar gravidez. Apenas em uma situação: Caso você esteja na metade do seu ciclo, que ocorre por volta de quatorze dias após a o primeiro dia da sua última menstruação e a sua próxima atrasar e acabar não vindo, aí sim esse pequeno escape é sinal de Gestação.

Principais fatores que podem causar o Corrimento Vaginal

Em boa parte dos casos, o corrimento surge por conta de mudanças que desequilibram a Flora da Vagina. Existem bactérias que já são da Vagina e elas mesma protegem a região das temidas infecções. Contudo, alguns fatores podem acabar desenvolvendo o Corrimento. Veja os principais:

  • Má higienização da Região íntima;
  • Sexo sem proteção;
  • Algumas substâncias alérgicas como perfume, geleia contraceptiva, Tecido, Sabão, Duchas na Vagina, Banhos com Espuma e assim por diante;
  • Agente de caráter Infeccioso, como é o caso da Vaginose, Candidíase, Clamídia, HPV e Tricomoníase;
  • Problemas ligados à pele, como é o caso da Dermatite Atópica, Psoríase e doenças do gênero;
  • Mudanças no PH da Vagina;
  • Doenças que provocam alterações no PH da Vagina ou da Flora Bacteriana, como é o caso do Diabetes, por exemplo, ou de quedas no sistema imunológico, decorrentes de Estresse.

Esses são apenas alguns dos causadores do corrimento, além de muitos outros que também podem provocá-lo. Por isso ressaltamos a importância de ir em busca de ajuda médica, para descobrir exatamente porque você tem corrimento e o que pode fazer para tratá-lo.

Principais Fatores de Risco para o surgimento do Corrimento

Algumas condições específicas podem aumentar os riscos de se ter algum tipo de corrimento. Separamos os principais para você conhecer:

  • Usar prolongadamente alguns tipos de Antibióticos;
  • Ter relação Sexual Desprotegida;
  • Usar algum Anticoncepcional;
  • Sofrer de Diabete, cujo controle é inexistente;
  • Estar no período da Menopausa;
  • Estar com comprometimentos no Sistema Imunológico.

Quando buscar auxílio médico?

Se você notar que o corrimento está anormal, imediatamente vá em busca de auxílio médico. Mudanças na cor, na espessura e no cheiro, por menor que sejam, precisam ser levadas em consideração e encaradas como algo sério.

A ida ao seu médico Ginecologista deve acontecer inclusive se você começar a ter dores abdominais ou febres acima de trinta e oito graus, na medida em que se tem o corrimento ou principalmente se você estiver em período gestacional.

Se você tiver maiores dúvidas sobre ir ou não ao médico, existem outros fatores que indicam algo errado: Coceiras incomuns na Vagina, Dores enquanto tem relação sexual, Micção, e sinais prolongados de Corrimento.

O que ocorre durante a consulta com o médico?

Quando você for ao médico tentar descobrir o que está ocorrendo o Corrimento Vaginal, é importante se preparar para a consulta, a fim de que o médico consiga visualizar melhor a sua situação e fazer o diagnóstico preciso.

Algumas informações são imprescindíveis para o dia da consulta, anote aí as principais, que você precisa informá-lo:

  • Faça uma listinha, anotando todos os sintomas que você vem sentindo e por quanto tempo eles têm se prolongado;
  • Tenha conhecimento do seu Histórico Médico, informe também se você toma algum remédio para outro problema ou se você toma suplementos de forma regular;
  • Qualquer dúvida que você tenha, anote no papel, para não correr o risco de chegar lá na consulta e esquecer de fazer alguma. E qualquer outra que surja nomeio da consulta, não deixe de perguntar.

Caso você esteja tendo Corrimento pela primeira vez, o médico provavelmente irá querer analisar esse corrimento. Por conta disso, não use nenhum tipo de tampão ou faça Ducha Vaginal antes de ir na consulta. Desse modo ele poderá fazer a análise.

Das perguntas mais frequentes que o profissional costuma fazer estão:

  • Em que momento esse Corrimento teve início?
  • Qual a coloração desse corrimento?
  • Há algum mau cheiro?
  • Você tem sentindo dores, queimações ou coceiras na Região da Vulva ou ao redor da Vagina?
  • Você já teve relação sexual desprotegida?
  • Com relação a menstruação, ela está regular?
  • Você sabe se está grávida?
  • Você tem o costume de fazer Duchas na vagina ou usar Sprays na região?
  • Atualmente você tem feito uso de algum remédio ou Suplemento Vitamínico de forma regular?

De que forma o Diagnóstico é feito?

O processo de diagnóstico vai depender do resultado da observação do corrimento, que é coletado pelo médico. Além disso, ele vai analisar também o seu Histórico médico, os aspectos da sua Vulva e da Sua Vagina. Além disso, o corrimento coletado pode ainda ir para um laboratório especializado para uma análise mais aprofundada.

Como tratar o corrimento da Vagina?

O período de tratamento e como ele será feito vai depender principalmente do tipo de infecção detectada. Alguns dos tratamentos são feitos com remédios que são aplicados diretamente na região, como é o caso de cremes específicos, géis, comprimidos para vaginas e assim por diante.

Em alguns tipos de Infecção, em especial quando é decorrente de alguma DST, o companheiro da pessoa também precisa fazer o tratamento junto com que foi diagnosticado.

Quais os remédios mais usados para o Tratamento?

Visto que o Corrimento pode se originar de variadas condições, cada uma terá um tratamento específico. Dependendo do seu diagnóstico, o seu tratamento será voltado especialmente para ele.

Por isso a consulta com o profissional é importantíssima, afinal somente ele pode analisar exatamente o seu problema e descobrir como deve tratá-lo de forma correta. Dentre a lista de remédios mais usadas em geral, destacamos as principais:

  • Cetoconazol;
  • Clocef;
  • Albocresil;
  • Metronidazol;
  • Clindamin-C;
  • Colpistatin;
  • Fluconazol.

Em nenhuma circunstância tente auto se medicar, peça primordialmente a orientação do seu médico ginecologista. E durante o tratamento com remédio que ele passar, não faça a interrupção do uso por livre espontânea vontade, ou tome uma dosagem maior do que ele realmente passou.

Toda mudança que você deseje fazer, só deve ser eito sob a autorização e orientação profissional, para que problemas maiores não surjam.

Como conviver com o Prognóstico?

Enquanto você fizer o tratamento para melhorar o Corrimento na Vagina, você pode aderir algumas dicas positivas para te ajudar ainda mais nesse processo de melhora. AS principais delas são:

  • Procure usar absorvente externo, visto que o interno pode acabar absorvendo o creme que você passa na região;
  • Procure não usar sabonetes com perfume, o ideal é o neutro para higienizar a região íntima;
  • Se a Relação Sexual está causando dores, evite praticar durante esse período. Mas se ainda assim desejar, pode usar o auxílio dos lubrificantes cuja base seja de água, para que diminua a sensação de irritabilidade no local;
  • Caso a Genitália apresente algum inchaço ou dor, faça banhos de assento com água em temperatura morna. Evite a água muito quente, pois pode deixar o local ainda mais irritado. Caso prefira, você pode fazer uma compressa de água fria e aplicar na região, lembrando que você não deve esfregar o local, caso esteja sentindo coceiras.

A região íntima requer cuidados diários e delicados. Por isso, cada pequena cautela é sempre bem vida para evitar correr o risco de contrair qualquer infecção e consequentemente acabar enfrentando certos desconfortos como é o caso do Corrimento.

Aproveite as dicas que o artigo deu hoje sobre como evitar ter esse problema, e caso você esteja passando por ele, siga as recomendações para tratar de forma correta. Não esqueça de compartilhas as dicas com suas amigas e familiares, para que toda a amulherada aprenda a se cuidar melhor e a não ter que passar por certos desconfortos. Com paciência e dedicação, seu corpo se mantém saudável e com vigor.

Deixe uma resposta