Categorias
Bem Estar

Como Aliviar a Cólica Menstrual? 8 Dicas

A cólica é o sintoma mais natural e comum que acompanha a menstruação. Juntamente com a tensão pré-menstrual, é uma das principais queixas das mulheres.

Há dois tipos de cólica: a primária, juntamente com o início dos ciclos ovulatórios; e a secundária, que surge após um período sem dor.

A cólica primária é de natureza desconhecida e inata ao organismo feminino. Já a cólica secundária pode ser provocada por doenças como inflamações pélvicas, endometriose e fibromiomas.

Não há como prever a duração da cólica, mas geralmente acompanha a menstruação por alguns dias e se intensifica com a chegada do fluxo menstrual.

Para as sortudas ela nem dá as caras, para outras se trata apenas de um pequeno incomodo, já para algumas ela é uma verdadeira tortura.

A cólica menstrual é uma dor na região pélvica que aparece um pouco antes ou junto com a menstruação e pode variar de intensidade.

Em alguns casos ela pode ser tão forte que incapacita as mulheres de seguir com suas rotinas, podendo causar até mesmo transtornos gastrointestinais e cefaleia.

Nesses casos mais severos é preciso procurar um ginecologista para que, através de exames clínicos e laboratoriais, possa realizar um diagnóstico correto sobre o motivo das fortes dores.

Cólicas que são exclusivamente provocadas pelas contrações uterinas normais do período menstrual, têm início de 6 a 12 meses após a primeira menstruação e ocorrem de 8 a 72 horas do início do fluxo sanguíneo e são diagnosticadas através do exame clínico.

Quando a dor é muito intensa e foge dos padrões de duração é preciso realizar alguns exames como ultrassonografia pélvica ou transvaginal, tomografia computadorizada ou bacterioscopia da secreção vaginal para investigar possíveis patologias como inflamações do colo do útero, miomas, endometriose, entre outras.

Procurar ajuda médica quando as cólicas menstruais passam de um simples incomodo para um problema que afeta sua rotina é o primeiro passo para obter um diagnóstico.

As dores muitas vezes escondem problemas que podem até mesmo afetar a fertilidade feminina, mas que quando diagnosticados precocemente são resolvidos com o uso de medicamentos ou intervenções cirúrgicas simples.

Como Aliviar Cólica Com Algodão

Você já parou para pensar que no tempo da sua avó não havia nada nas farmácias para aliviar as dores das cólicas menstruais. O jeito era recorrer às receitas caseiras. Por exemplo:

  1. Molhe o algodão com o álcool e coloque no umbigo
  2. Passe um band-aid, esparadrapo ou qualquer coisa que deixe o algodão fixo
  3. Deite alguns minutos para relaxar os músculos. Quando o líquido tiver evaporado, o que acontece após algumas horas, retire o algodão

Volte a repetir quando quiser. Se o problema for dor de barriga, use da mesma forma a receita, mas pode acrescentar uma pitada de sal no algodão.

Como Aliviar Cólica De Bebê

Dores abdominais são comuns até o quarto mês do bebê, pois o sistema digestivo do recém-nascido ainda é imaturo.

Exercícios, banhos e massagens podem ajudar o seu bebê a enfrentar as crises de cólica, típicas dos primeiros meses para aliviar a dor massageie a barriguinha do bebê em movimentos circulares.

É comum o bebê ter acabado de mamar, está bem agasalhado, com a fralda seca e, ainda assim, chorar num tom estridente avisando que algo não vai bem.

Nessa hora, você tem bons motivos para desconfiar de uma crise de cólica. Quando nada na rotina justifica tanto desconforto, é quase certo que o problema seja esse.

As crises acontecem geralmente no final da tarde e fazem o abdome do bebê se contrair. Para evitar desesperos, a melhor estratégia é se preparar com as técnicas anticólicas e se revezar com o pai nesses cuidados.

Massageie a barriga do bebê, ao perceber o desconforto da criança, com movimentos circulares no sentido horário.

Com as mãos em concha, deslize uma de cada vez pela barriga da criança, partindo da base das costelas em direção ao púbis. O toque deve exercer uma pressão suave.

Também é eficaz fazer alguns exercícios. Coloque o bebê deitado e dobre lentamente os joelhos dele de modo que as coxas pressionem de leve a barriga.

Depois, estenda novamente as pernas e recomece, como se ele estivesse pedalando. O movimento pode ser feito várias vezes ao dia, não apenas na hora da dor.

Para relaxar, dê um banho morno, cuide para que o ambiente esteja silencioso e, se possível, coloque uma música suave tocando baixinho.

Diminua a luz e converse com seu filho ou cante para ele. A percepção de uma atmosfera calma ao redor tranquiliza o bebê, e a água na temperatura do corpo proporciona uma sensação muito próxima à que a criança experimentava no útero.

É uma experiência que faz relaxar e, com isso, a cólica cede. Faça uma compressa passe uma fralda a ferro e coloque-a ainda quente sobre a barriga da criança ou use uma bolsa térmica com água morna.

O calor favorece a vasodilatação, facilita o fluxo sanguíneo e relaxa a musculatura, diminuindo o desconforto abdominal. É importante testar a temperatura do tecido ou da bolsa para não queimar a pele delicada do bebê.

Tente um contato pele a pele quando deitado de bruços sobre o peito do pai ou da mãe, o bebê consegue expelir mais facilmente os gases que o incomodam e agravam a cólica.

Aqueça levemente o quarto para o pequeno não sentir frio. O bebê poderá ficar somente de fralda deitado no seu peito. Isso vai aliviar muito a dor.

O contato pele com pele aconchega, enquanto o cheiro e a voz da mãe ou do pai transmitem calma e segurança.

Enrole o pequeno no cueiro, ao envolver o corpo do bebê como se fosse um pacotinho, o cueiro proporciona uma sensação de aconchego e diminui a irritabilidade e a agitação da criança.

E para distrair o bebê, serve uma caminhada pela casa, pode ser de bruços, com a barriguinha apoiada nas suas mãos esse contato aquece o abdome e traz o conforto do toque.

Ofereça o peito a maioria dos bebês se acalma quando recebe o leite materno. A estimulação oral que decorre do movimento de sucção é uma fonte de satisfação que ajuda a amenizar a cólica.

Só não convém oferecer o seio se a criança tiver acabado de mamar ou se ela recusar repetidamente o peito.

A quantidade de ar que o bebê engole a cada mamada pode provocar gases e agravar a cólica. Por isso, é indispensável fazer a criança arrotar para expelir o ar engolido durante a amamentação.

Para os pequenos que não mamam no peito, existem mamadeiras especialmente projetadas para evitar a cólica.

Não há pesquisas conclusivas sobre a relação da dieta da mãe com as cólicas do bebê, no entanto, convém diminuir o consumo de alguns alimentos e observar se isso faz diferença.

Os produtos industrializados contêm corantes, conservantes e estabilizantes, que às vezes dificultam a digestão da criança.

Saia de cena e acalme as cólicas e seu choro típico podem durar horas. Enquanto tenta acabar com o sofrimento do pequeno, a mãe muitas vezes fica tensa e nem se dá conta disso.

Então, o bebê, supersensível, percebe a impaciência da mãe, fica inseguro e reage sentindo mais dor. Ela segue com os cuidados e, sem sucesso, vai entrando em pânico.

Antes de perder o controle da situação, é melhor pedir ajuda e sair de cena. Nesse momento outra pessoa pode ser um santo remédio, assumindo o posto até que você se recupere.

Depois de um banho, de uma boa refeição, de alguns momentos em silêncio e já recomposta, será mais fácil voltar a cuidar do filho.

Em último caso, os pais podem contar com os analgésicos infantis e com os medicamentos para eliminar a flatulência, mas apenas os que são receitados pelo pediatra.

Esses remédios não têm efeito preventivo. E é bom lembrar que todo medicamento apresenta contraindicações.

Posições Para Aliviar Cólica

Se você está sofrendo com cólicas durante a menstruação, uma ótima opção é aliviar essa dor com posturas de ioga simples.

Todo mês, nossos nosso útero se prepara para receber o feto, nesse processo sofrer cólicas e contrações são comuns e completamente normais durante a menstruação. Mas não é preciso lidar com a dor o tempo todo.

Antes de você optar por medicamentos agressivos para a dor, evite os efeitos colaterais daqueles dias com simples exercícios de rotina.

Você só precisa de um espaço, uma toalha e uma música relaxante, sente e flexione o tronco para frente. Você pode deixar ambas as pernas esticadas ou um pouco flexionadas, dependendo da sua flexibilidade.

A postura estimula os órgãos abdominais, incluindo o útero. Ela também melhora o processo digestivo, a circulação linfática e fortalece o sistema

Uma das posturas mais relaxantes e traz muitos benefícios para o corpo. Fique sentada de joelhos, abaixe sua testa em direção ao chão e estique os braços para a frente o máximo que puder.

Você também pode praticar com os braços para trás. Se feita corretamente, a posição ajuda a tonificar os órgãos reprodutivos e da bexiga.

Além de ser capaz de aliviar a dor menstrual, esta posição alonga totalmente os músculos das costas. É tão confortável que você vai querer permanecer assim por muito tempo.

Posição do alfaiate- Sente ereta, com seus calcanhares em direção a suas pélvis. Junte as solas de seus pés e mantenha-os o mais próximo possível da pélvis. O importante é experimentar a tensão em seus músculos.

Esta abordagem simples alivia qualquer tensão pré-menstrual ou cólicas menstruais, e tem propriedades surpreendentes para seu assoalho pélvico: afrouxa o sacro e o cóccix e até mesmo a área pélvica.

A posição também melhora a mobilidade das articulações dos quadris e alivia a tensão nas coxas, joelhos e tornozelos.

Posição reclinada do herói- Fique de joelhos e em linha reta. Mantenha seus joelhos juntos, mas separe os pés o quanto puder. Em seguida, vá se inclinando até que esteja deitada, se puder, com as nádegas coladas no chão.

É uma posição um pouco difícil se você está começando ou se nunca fez ioga, mas aos poucos fica mais simples.

A postura reclinada do herói é perfeita para melhorar a circulação das extremidades, reduzindo a inflamação.

Ela também melhora a postura das costas e relaxa os joelhos e tornozelos. Pode ser uma posição muito confortável, fique nela o tempo que conseguir.

Peixe- A menstruação traz dor na parte inferior das costas. Então a postura do peixe é perfeita para aliviar esse tipo de tensão.

Você pode praticar tanto deitada quanto sentada, basta flexionar um de seus joelhos e puxe na direção oposta. Se deitada, ombro e joelho oposto devem tocar o chão.

Postura da Esfinge- Deite de bruços com as pernas esticadas e juntas. Apoie em seus antebraços, levante o peito.

Você vai perceber sua área abdominal se estendendo. Assim, você ajuda a melhorar o funcionamento do intestino e dos ovários.

A flor de lótus- Finalmente, uma das posições mais comuns, e básica para a meditação, a flor de lótus. Uma vez sentada, você deve tentar colocar cada pé sobre a coxa ou joelho contrário.

Pode custar muitos esforços de primeira, se você não tem muita flexibilidade, mas a posição da flor de lótus permite abrir e fortalecer os quadris, além de proporcionar paz interior.

Você vai relaxar imediatamente. Para a inconveniência da menstruação, concentre na cólica enquanto você está respirando e imagine como as respirações vai eliminando a dor pouco a pouco.

Como Aliviar A Cólica Menstrual Caseiro

Muito comum em receita caseira, são os chás com ação analgésica e anti-espasmódicas sãos os mais indicados para combater a cólica menstrual. Bons exemplos são os chás de lavanda, gengibre e calêndula.

Mas além de tomar um destes chás deve evitar o excesso de doces e salgados, colocar compressas de água morna sobre o abdômen, evitar a ingestão de alimentos com cafeína, como café, chocolate, chá e refrigerantes.

Primeira opção: Chá de lavanda uma excelente solução caseira para cólicas menstruais é o cataplasma de alfazema, pois essa planta medicinal é estimulante da circulação periférica.

Ingredientes

  • 50 g de folhas de lavanda
  • 1 litro de água

Modo de preparo

Colocar as folhas de alfazema na água e deixar ferver. Depois deixe esfriar, retire as folhas e aplique sobre o abdômen cerca de duas a três vezes por dia.

Segunda opção: Chá de folhas de Mangueira, o chá das folhas de mangueira possui propriedades anti-espasmódicas sendo útil para amenizar as cólicas.

Ingredientes

  • 20 gramas de folhas da mangueira
  • 1 litro de água fervente

Modo de preparo

Coloque os ingredientes na panela e deixe ferver por 5 minutos. Tampe e deixe esfriar um pouco. A seguir, coe e, para adoçar este chá, adicione 1 colher de chá de mel de abelhas, por xícara.

Para que a cólica fique menos intensa, de forma natural, este chá deve ser tomado 4 vezes por dia, nos dois dias que antecedem a menstruação e no primeiro dia da menstruação.

Terceira opção: Chá de Agnocasto, o chá de agnocasto possui propriedades sedativas e antiespasmódicas que ajudam a equilibrar os níveis hormonais, sendo eficaz não só no alívio das cólicas, mas também de outros sintomas relacionados a menstruação até no ciclo menstrual.

Ingredientes

  • 1 colher de sopa de agnocasto
  • 200 ml de água fervente

Modo de preparo

Juntar os ingredientes e deixar repousar durante cerca de 15 minutos. Depois coar e beber de duas a quatro vezes por dia.

Deve ter cuidado ao administrar as doses do chá, pois altas dosagens podem provocar problemas intestinais. Caso sinta algum desconforto procurar um profissional da área.

Quarta opção: Chá de Alfavaca, o chá de alfavaca para cólicas menstruais possui propriedades relaxantes e anti-espasmódicas que aliviam as dores causadas pelas cólicas.

Ingredientes

  • 1 colher de sopa de alfavaca
  • 500 ml de água

Modo de preparo

Colocar os ingredientes numa panela e deixar ferver durante alguns minutos. Deixe esfriar e beber a seguir. Pode tomar até quatro vezes por dia, o ideal é sem açúcar, porque o açúcar pode piorar as cólicas menstruais.

Quinta opção: Chá de artemísia, um ótimo remédio caseiro para acabar com as cólicas é o chá de artemísia, porque tem ação antiespasmódica que diminui a dor e o desconforto abdominal, causado pelas cólicas intestinais ou menstruais.

Ingredientes

  • 1 colher de sopa de folhas de artemísia
  • 1 xícara de água fervente

Modo de preparo

Juntar os ingredientes e deixar repousar durante cerca de 5 minutos. Depois tapar, deixar esfriar e beber de duas a três xícaras por dia.

Para aumentar o efeito deste chá, você pode colocar uma compressa de água morna sobre a barriga e deitar de lado.

Sexta opção: Chá de gengibre, uma ótima solução natural para as cólicas menstruais é o chá de gengibre com camomila.

Esse chá é uma mistura eficaz, pois enquanto o gengibre age como anti-inflamatório diminuindo as dores, a camomila age como calmante proporcionando o relaxamento necessário durante este período do mês.

Ingredientes

  • 1 colher (chá) de gengibre picado
  • 1 colher (chá) de camomila seca
  • 250 ml de água

Modo de preparo

A raiz de gengibre deve ser fervida em um recipiente e tampado por aproximadamente cinco minutos, após a solução ser retirada do fogo adicione a camomila.

O recipiente deve ser tampado novamente e permanecer em infusão por dez minutos. Após ser coado e adoçado com mel, o chá está pronto para ser bebido.

Pode tomar três xícaras por dia são o suficiente para a diminuição das cólicas menstruais.

Sétima opção: Chá de calêndula, o chá de calêndula com erva-doce e noz moscada, devido as suas propriedades anti-espasmódicas, analgésicas, anti-inflamatórias, calmantes e reguladoras da menstruação.

Ingredientes

  • 1 punhado de flores de calêndula
  • 1 colher de chá de noz moscada
  • 1 colher de chá de erva-doce
  • 1 copo de água

Modo de preparo

Colocar os ingredientes numa panela e deixar ferver por dez minutos. Depois apagar o fogo, tampar a panela e deixar esfriar. A seguir, adoçar a gosto, coar e beber duas vezes ao dia.

Em casos mais graves, o tratamento da cólica menstrual é indicado pelo ginecologista através de remédios antidepressivos ou o uso de uma pílula de uso contínuo.

Outras maneiras de combater as cólicas menstruais é beber cerca de 2 litros de água por dia ou fazer exercícios físicos leves como Yoga ou Pilates regularmente.

O Que Fazer Para Cólica Passar

Uma forma de aliviar a cólica menstrual é deitar em posição fetal com uma bolsa de água morna na parte inferior do abdômen e permanecer em repouso.

Deitar de costas, com as pernas dobradas e as plantas dos pés apoiadas no chão e balançar as coxas lentamente de um lado para o outro também pode ajudar a aliviar a cólica menstrual.

Praticar atividades físicas regulares auxiliam no alívio das dores porque libertam endorfinas, substâncias que atuam como analgésicos naturais do organismo.

Yoga, técnicas de relaxamento, consciência corporal, bio feedback e acupuntura podem ser úteis em algumas mulheres.

Enquanto medicações, os anti inflamatórios como Ibuprofeno, Ácido Mefenâmico, podem ser usados sempre com a orientação médica.

O uso contínuo de anticoncepcionais, pode reduzir o fluxo menstrual e alivia as dores mensais da cólica menstrual.

Se a cólica é muito intensa e não é aliviada com algumas dessas medidas, é recomendado uma avaliação médica para investigar as possíveis causas e indicação de algum tratamento específico.

Como Acabar Com A Cólica Menstrual Rápido

A maioria das mulheres sofrem com as cólicas durante o período menstrual. Essa dor pode começar sendo apenas um leve incômodo e terminar debilitando totalmente.

Para tentar aliviar rapidamente a dor, aqueça o local. As cólicas são causadas pela contração do útero, que é um tecido muscular, para expelir os fluídos menstruais.

Você pode tratar a dor como se fosse qualquer outro músculo do corpo, como um tendão puxado ou um pescoço tensionado, aquecendo o local de alguma maneira. O calor relaxa os músculos e fornece um alívio imediato mas não permanente.

  • Use uma bolsa térmica ou uma garrafa com água quente. Coloque sobre a área dolorida. Deixe por vinte a trinta minutos.
  • Tome um banho quente. Encha uma banheira com água morna e fique por vinte minutos. Coloque um pouco de sais de banho ou óleos essenciais com aroma de rosas ou lavanda para que você relaxe ainda mais.

Faça uma massagem, essa é uma boa forma de relaxar os músculos. Coloque seus dedos em cima da área dolorida e aperte gentilmente. Massageie a área por alguns minutos. Tente manter o seu corpo relaxado o máximo possível durante o processo.

Você pode massagear tanto o seu estômago como pedir para alguém massagear as suas costas. Concentre nos pontos onde a dor é maior.

Tome uma infusão de ervas. Há muitas ervas na natureza que há muitos anos são usadas para as dores da cólica.

Faça uma infusão de chá de ervas e beba devagar para aliviar a dor. Tome algum remédio prescrito pelo médico. Tomar um remédio é uma das formas mais eficazes de fazer com que as cólicas acabem.

Remédios anti-inflamatórios não esteroides, como ibuprofeno e paracetamol, funcionam rapidamente na eliminação da dor.

Alguns remédios para dor são destinados especificamente para melhorar a dor da cólica menstrual e outras dores relacionadas à menstruação.

Tome a dose recomendada na bula. Se a sua dor não parar em uma hora, tente outros métodos de alívio ao invés de tomar mais remédio.

Cólica Menstrual Forte

A dor em cólica é uma das características mais marcantes do período menstrual, sendo que cerca de até 90% das mulheres em idade reprodutiva relatam ter dores.

Todo mês, o útero desenvolve uma camada interna, chamada endométrio, que é responsável por acolher o embrião. Porém, se o óvulo não foi fecundado, o endométrio tem de ser eliminado na menstruação.

Para que esta camada se desprenda do útero, é preciso que haja contrações. O esforço que o útero realiza para eliminar o endométrio é proporcional à intensidade do fluxo menstrual de cada menina.

Quanto maior o fluxo, mais contrações são necessárias para expulsão. Além do fluxo, outros fatores individuais como o tamanho do útero, a idade e os hábitos de cada mulher também podem influenciar na intensidade da cólica.

Por isso, é normal que as dores variem de uma menina para outra. Entretanto, quando a dor menstrual é muito forte, é preciso ficar atenta à possibilidade de outras causas.

Neste caso, há uma doença orgânica associada, que faz a cólica se agravar. As prostaglandinas, que são parte do processo natural, atuam com o fator etiológico, que é uma irregularidade.

Como resultado, pode potencializar os fenômenos inflamatórios e dolorosos. Nos casos de dismenorreia primária, é possível alcançar o alívio da dor com medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios, e até mesmo com terapias alternativas, como a aplicação de calor local.

Já na dismenorreia secundária quando a dor é muito acentuada a recomendação é procurar um médico e iniciar o tratamento adequado à doença de base.

Fique atenta às cólicas muito fortes, pois não é normal sentir dores tão intensas. Mesmo no período pré-menstrual, a cólica extremamente dolorosa indica alguma anormalidade no sistema reprodutor.

As alterações podem ser doenças como endometriose, miomas, pólipos ou inflamações pélvicas. Infelizmente, é muito comum que as mulheres tenham um diagnóstico tardio, porque pensam que sentir cólicas muito fortes é normal.

Entretanto, é preciso observar os sinais que o corpo emite. Qualquer anormalidade no seu ciclo menstrual deve ser investigada.

Cólica Menstrual Onde Dói

Cólicas intensas: se as dores no útero persistirem por mais de dois dias e se começarem muito antes do fluxo menstrual, pode ser um sinal de dismenorreia secundária. Neste caso, elas também podem irradiar para a região lombar e para as coxas.

Náusea, vômito e diarreia: sintomas gastrointestinais podem ser comuns durante a menstruação e geralmente são causados pelas dores intensas.

Dor durante relação sexual: a dispareunia, dor durante o sexo, é um dos principais sintomas associados a doenças na região do útero e, portanto, deve ser investigada.

Febre: quadros de febre associados a dores pélvicas ou mais sintomas, podem ser um sinal de doença inflamatória pélvica e de miomas.

Quando a cólica uterina é causada apenas pelo ciclo menstrual, o uso de anti-inflamatórios não hormonais, que atuam na inibição da produção de prostaglandinas, pode ter um efeito rápido e eficaz sobre os sintomas de dor.

O alívio das dores, no caso de dismenorreia secundária, depende do tratamento do que está originando os sintomas e, por isso, é necessário buscar auxílio médico para um diagnóstico preciso e a indicação do tratamento correto. É fundamental ir ao ginecologista.

Saber o que causa dor no pé da barriga é importante para identificar quando o desconforto é normal e quando merece auxílio de um especialista.

Esse incômodo atinge o baixo ventre e pode causar dores tão intensas que dificultam as atividades do dia a dia.

Os casos mais comuns de dor no pé da barriga são associadas a cólicas menstruais. Esse quadro é normal e mais frequente em mulheres jovens e costumam ser transitório e causar desconforto leve.

Porém, há outras causas possíveis para dores fortes, que geram preocupação e precisam ser tratadas o quanto antes.

Deixe uma resposta