Categorias
Diversos

Ardência na Vagina, Sensação de Queimação, Ardência Após Relação Sexual – O que pode ser?

Sentir ardência na vagina não é nada agradável. Mas o que pode ser essa sensação de queimação?

Se ocorrer ardência após relação sexual pode ser devido a alterações hormonais que fazem a vagina perder sua lubrificação como acontece na menopausa. Outros motivos podem ser alergia à camisinha ou ao esperma.

Alergia a sabão, amaciante ou cremes também pode causar essa sensação, assim como assaduras e irritações.

A sensação de queimação na vagina também pode ser devido a infecções como candidíase, enterobiose e vaginose, nesse caso o tratamento é feito com acompanhamento médico e podem ser passados medicamentos e pomadas ginecológicas.

Quer saber mais sobre ardência vaginal e como resolver o problema?

Então nos acompanhe neste artigo.

Ardência na vagina após relação sexual

A ardência após relação sexual pode ter vários motivos, entre eles a vaginite atrófica que é causada pela alteração na produção do hormônio estrogênio.

Com menos estrogênio a parede que reveste a vagina fica mais sensível e fina, causando ardência durante o ato sexual, além de também diminuir a lubrificação da vagina, tornando a relação sexual mais dolorosa.

A mulher pode ter vaginite atrófica depois da menopausa, quando está amamentando, após a retirada dos ovários, depois da realização de tratamentos contra o câncer como radioterapia e quimioterapia e depois de receber tratamento hormonal realizado para combater o câncer de mama.

Além da ardência vaginal a vaginite atrófica pode trazer outros sintomas, como:

  • Corrimento;
  • Coceira;
  • Dor ao urinar;
  • Perda de controle da bexiga;
  • Infecções do trato urinário;
  • Sangramento após contato íntimo;
  • Encurtamento do canal vaginal.

Ao notar os sintomas o ideal é procurar um ginecologista para tratar o problema. O médico pode indicar um lubrificante vaginal à base de água para usar durante a relação sexual e estrogênio tópico. 

Outro motivo da ardência após relação sexual pode ser alergia ao esperma do companheiro ou mesmo ao material com que é feito o preservativo. Nesse caso também é recomendado ir a um ginecologista para que ele possa dar as orientações sobre como proceder.

Para aliviar a sensação é possível fazer banho de assento com bicarbonato e água morna ou chá de camomila por dez minutos.

Ardência na vagina por alergia

Além da camisinha e do esperma é possível ter alergias a outras substâncias como absorventes, certos tipos de tecido, papel higiênico, sabonetes e sabão e amaciante usados para lavar as roupas.

É bom identificar o que está causando a alergia e parar com seu uso para que a sensação não continue. Também é bom visitar um ginecologista, pois ele te orientará a tomar medicamentos para amenizar os sinais, como pomadas anti-inflamatórias e anti-alérgicos.

Ardência na vagina por candidíase

Foto: via Fácil Consulta

A candidíase é uma infecção provocada pelo fungo Candida albicans e pode causar ardência na vagina, além de outros sintomas como coceira, corrimento branco e denso, inflamação dos lábios vaginais, rachaduras em pele próxima à vulva e dor no contato íntimo.

É recomendado que ao notar os sintomas você consulte um médico ginecologista.Para identificar o problema, o médico analisa a mucosa vaginal e se necessário faz uma raspagem para enviar ao laboratório.

O médico vai te orientar sobre o tratamento, que geralmente se baseia em uso de pomadas ginecológicas e medicamentos antifúngicos para combater a infecção. 

Ardência na vagina por tricomoníase

A tricomoníase é uma infecção provocada por um parasita chamado Trichomonas vaginalis. Ela pode causar ardência vaginal e outros sintomas como corrimento amarelo-esverdeado, dor durante relação sexual e ao fazer xixi.

É importante que você consulte um médico ginecologista após perceber os sinais. O médico geralmente faz um exame microscópico da secreção vaginal e testes de fluxo immunocromográfico para identificar o parasita.

O tratamento é realizado através do uso de medicamentos como metronidazol ou tinidazol.

Ardência na vagina por gonorreia

Outra infecção conhecida como gonorreia também pode causar ardência na vagina. Ela é causada pela bactéria Neisseria gonorrhoreae e é uma infecção sexualmente transmissível.

A gonorreia causa ardência quando a mulher vai fazer xixi e também pode provocar perda de controle da bexiga, além de presença de secreção branco-amarelada, inflamação das glândulas de Bartholin (duas glândulas que se encontram na lateral da vagina e proporcionam a lubrificação vaginal), inchaço no ânus durante relação íntima anal e dor de garganta e problemas na voz quando ocorre a relação íntima oral.

O tratamento somente é realizado através de orientação médica, em que o ginecologista fará o diagnóstico e receitará antibióticos para combater a infecção.

É essencial que o tratamento seja feito corretamente, pois de acordo com a médica mastologista e ginecologista Sheila Sedicias pode haver complicações como infecção do útero, tubas uterinas, cavidade abdominal e também há o risco de a bactéria atingir outros lugares do corpo através da corrente sanguínea.

Ardência na vagina por vulvonídea

Foto: via Febrasgo

A vulvonídea também pode estar relacionada à ardência na vagina. Essa doença não é tão conhecida, assim como suas causas. Mas existem alguns fatores que podem contribuir para seu aparecimento, como:

  • Ter sensibilidade à dor;
  • Através da genética;
  • Problemas no assoalho pélvico;
  • Alterações hormonais ou das vias nervosas;
  • Problemas psicológicos.

Além da ardência na vagina, a vulvonídea também pode causar sensação de calor, queimação e dor crônica que pode ocorrer após ato sexual e coceira.

Só quem pode dar o diagnóstico é o médico ginecologista. Essa doença é difícil de identificar, devido ao fato dela não ser tão conhecida assim como suas causas.

A vulvonídea não tem cura, mas através do tratamento é possível aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida da mulher.

O tratamento é realizado especialmente através da fisioterapia, que ajudará a diminuir a dor e ajudar a paciente a voltar a ter relações sexuais normalmente. Também podem ser usados medicamentos para ajudar no tratamento e dependendo do caso também é recomendado atendimento psicológico.

Ardência na vagina por líquen plano  

É uma doença dermatológica que pode ser causada através da reação a alguns medicamentos ou ação de micro-organismos. Ela é caracterizada por pequenas protuberâncias que atingem a área vaginal e também outras partes do corpo como pulsos, pernas e boca.

O diagnóstico da doença pode ser feito por um médico dermatologista que avaliará as protuberâncias no corpo da paciente e poderá fazer a biópsia da pele para identificar a causa.

O tratamento pode ser feito por injeções, pílulas ou loções com corticoides, fototerapia e formas para aliviar a coceira e a dor bucal.

Ardência na vagina por vulvovaginite

A vulvovaginite é uma inflamação na vagina e na vulva que além de causar sensação de queimação na vagina também provoca inchaço, vermelhidão e secreção.

Essa inflamação pode ser causada através da infecção por bactérias ou através do uso de produtos que geram alergia como calcinhas feitas com tecido sintético, roupas apertadas que impedem a ventilação da área vaginal, amaciante, papel higiênico colorido ou perfumado, sabonetes perfumados e ducha vaginal.

A vulvonvaginite pode acontecer em mulheres após o parto, pois elas ficam mais sensíveis ao contato com alguns produtos químicos. Outros fatores de risco são a baixa imunidade e o estresse.

O diagnóstico deve ser feito pelo médico ginecologista que fará exames ginecológicos como a vulvoscopia para identificar o problema.

O tratamento também só deve ser orientado pelo médico e é realizado através de medicamentos orais e orientações para mudança de hábitos.

Ardência na vagina por usar absorvente externo muito tempo  

Foto: via Portal do Zacarias

A ardência na vagina também pode ser causada pelo uso prolongado de absorvente externo.

O uso dele por muito tempo pode prejudicar a ventilação da região vaginal, especialmente se você usar roupas apertadas. Assim a área transpira e devido à umidade pode causar assaduras, que por sua vez levam à ardência vaginal.

Para evitar o problema é indicado não usar o absorvente interno todos os dias, deixar a região genital sempre seca e limpa e utilizar tecidos leves como algodão na roupa íntima. Também não é recomendado o uso de roupas muito justas.

Dicas

Confira algumas dicas que podem te ajudar a evitar os problemas que falamos neste artigo e assim se prevenir contra a ardência da vagina.

Cuide da higiene íntima

De acordo com a ginecologista Carolina Carvalho Ambrogini, coordenadora do Ambulatório da Sexualidade Feminina da Universidade Federal de São Paulo, é importante limpar toda a área vaginal, tanto a parte externa quanto a interna.

Você deve usar água corrente e sabonete comum, e deverá limpar os pequenos e os grandes lábios com os dedos.

Ela também orienta a não lavar a parte interna da vagina com ducha, pois pode prejudicar seu pH normal e matar micro-organismos que mantém a flora natural da vagina e assim aumentar o risco de haver infecções.

Ela fala que após a evacuação você não precisa lavar o local, mas limpar com o papel higiênico na direção de frente para trás, para evitar que haja contato com a vagina.

Também é bom lavar a região íntima após a relação sexual com água e sabonete. Você também deve urinar após o ato sexual, pois dessa forma pode retirar bactérias que se encontram na uretra.

Evite calcinhas de tecidos sintéticos

Foto: via Elo7

As calcinhas de tecidos sintéticos deixam a vagina abafada, estimulando a proliferação de micro-organismos que podem causar infecções.

Por isso é preferível usar calcinhas feitas com tecidos leves como o algodão, que deixa a área íntima “respirar”.

Evite usar roupas de banho molhadas por muito tempo

Ao frequentar piscinas e a praia você deve evitar permanecer por muito tempo com roupas de banho molhadas, pois deixam a área íntima úmida, podendo facilitar infecções por fungos.

Se necessário utilize lubrificante durante relação sexual

Como vimos no artigo mulheres que tem problemas com lubrificação podem sofrer com o atrito durante a relação sexual e assim ter ardência.

Por isso é indicado, se necessário, utilizar um lubrificante, especialmente nos casos que citamos no artigo como mulheres que se encontram na menopausa, que tiveram os ovários retirados e que fazem tratamentos contra o cancer.

Use roupas confortáveis

Foto: via Victoria´s Fashion Store

Roupas apertadas e feitas com tecidos grossos como jeans podem abafar a região genital e assim provocar calor e suor que podem facilitar a proliferação de micro-organismos.

Sendo assim é indicado que você reveze as roupas, preferindo utilizar saias e calças feitas com tecidos moles e leves para arejar a região.

Evite o uso do absorvente externo diariamente

Como vimos o absorvente externo quando usado por muito tempo pode abafar a região da vagina, provocando suor e assim podendo causar assaduras, que por sua vez geram a ardência vaginal.

Por isso você deve evitar seu uso e para deixar a área íntima mais ventilada pode trocar a calcinha, caso esteja na fase da menstruação em que há um corrimento maior.

Ao usar o absorvente você também deve trocá-lo com regularidade. O indicado é jogar o antigo fora e colocar outro absorvente uma vez a cada quatro horas, especialmente se for absorvente interno.

Caso consiga durma sem calcinha

Dormir sem calcinha pode ajudar a ventilar a região genital e assim impedir a procriação desenfreada de micro-organismos causadores de doenças.

Para fazer isso você deve tomar banho antes de dormir e secar bem a área antes de se deitar.

Evite exagerar na depilação íntima

Os pelos apesar de parecerem incômodos podem ajudar a proteger a área íntima de infecções. Por isso você deve evitar exagerar na depilação e quando for realizá-la usar apenas produtos descartáveis para não haver contaminação.

Mas se a depilação for feita com cera ou laser você deve procurar um local de confiança, em que haja profissionais cuidadosos.

Evite o uso do sabonete íntimo

Foto: via Pocket English

Assim como a ducha vaginal o sabonete íntimo também pode prejudicar a flora vaginal. Por isso não é indicado que você o utilize em excesso.

Evite usar o chuveirinho para se lavar

Apesar de ser muito prático o chuveirinho pode prejudicar a região íntima. Pois o jato forte de água pode causar o desequilíbrio de bactérias naturais da flora vaginal e assim deixar a área desprotegida contra infecções.

Como vimos neste artigo a ardência pode ser causada por diferentes motivos, como infecções, doenças dermatológicas, assaduras, alergias e alterações hormonais.

É importante ao notar a ardência ir ao médico para que ele faça os exames necessários para identificar o problema, pois algo que parece simples pode se tornar altamente prejudicial à saúde.

Também é essencial manter cuidados com a região íntima para evitar os problemas citados e assim favorecer a saúde da região. Entre esses cuidados o mais importante é a higiene, pois ela evita a proliferação de micro-organismos causadores de doenças, além de assaduras e inflamações na região.